Pela manhã eles seguiram até a Câmara Municipal, onde foram recebidos pelos vereadores.

Em mais um protesto contra as leis recentemente aprovadas, um grupo de servidores públicos pernoitou na Prefeitura de Cotia. 

A Prefeitura entrou com pedido liminar para a desocupação do prédio, porém o pedido não havia sido julgado até a manhã de hoje. 

Os servidores, em sua maioria professores, estão em greve desde o último dia 31 de julho e tem feito várias manifestações pelas ruas da cidade e em frente à Prefeitura. A categoria quer uma reunião com o prefeito para discutir o plano de carreira e e reajuste salarial. Eles alegam que as perdas salariais nos últimos 4 anos chegam à 27%.

O prefeito Rogério Franco não atendeu o grupo e em entrevista à uma emissora de TV na última semana, afirmou que não voltará atrás na sua decisão. Ele justificou que as mudanças são necessárias para equilibrar as finanças públicas.

Durante a primeira reunião da Câmara Municipal após o recesso, os vereadores receberam a comissão de servidores públicos municipais.

No encontro, representantes da Guarda Municipal, Magistério, Auxiliares de Classe, Saúde, Administrativo e do Sintrasp apresentaram as reivindicações da categoria. Os vereadores se comprometeram a levar a pauta para o Poder Executivo e uma nova reunião foi agendada para a próxima terça-feira, dia 14. Em Assembleia, os servidores resolveram suspender a greve até a próxima reunião.

Em nota, a Prefeitura de Cotia se manifestou sobre a greve: 

"A Prefeitura de Cotia informa que a paralisação dos servidores afeta, especificamente, a área da Educação. Os demais serviços funcionam normalmente. O movimento começou no dia 31 de julho deste ano. Nesta terça-feira (7/08), a paralisação afeta 15 das 109 escolas municipais".

Imagens: Redes Sociais

 

Visitantes Online:

Temos 691 visitantes e Nenhum membro online