Aconteceu na tarde de sábado(19), no bairro do Caputera, a 2ª Sessão da Câmara Itinerante de Cotia.

Cerca de 150 moradores compareceram à 2ª Sessão da Câmara Itinerante

O projeto do Vereador Rogério Franco teve início em 2009, quando ele era presidente da casa. Após aprovado o projeto, uma única sessão foi realizada em Caucaia do Alto naquele ano, sendo retomado pelo atual presidente Paulinho Lenha, que promete força total a partir de agora.

A reunião, que teve início às 16:30hs e terminou por volta das 19 horas, mobilizou 150 pessoas apesar da fina chuva que caiu durante todo o sábado.

Moradores escutam a leitura de trecho da Bíblia e cantam o Hino Nacional

Somente sete vereadores estiveram presentes: Gilberto Marcelino (Giba), Marcos Nena, Rogério Franco, Alcides Esquisito, Toninho Kalunga, Neto e o presidente da Câmara, Paulinho Lenha, estando ausentes os vereadores Beto Rodovalho, Arildo, Pelé, Givaldo e Claudio Saraiva.

O secretário de obras, Benedito Simões, e o professor Osmar, líder comunitário da região, também participaram da mesa.

Muita gente precisou assistir a Sessão em pé, já que a reunião estava lotada.

O presidente da Câmara, Paulinho Lenha, abriu a Sessão com a leitura da Bíblia e o Hino Nacional. Em seguida agradeceu a todos pela presença: "Estou feliz em estar aqui, prestando contas do meu mandato", disse, dando a palavra aos vereadores presentes, que parabenizaram a retomada do projeto e falaram sobre sua importância na vida das comunidades, que muitas vezes não podem se deslocar até Cotia para discutir com os vereadores os problemas do bairro.

"As pessoas reclamam que não há Tribuna Livre na Câmara. Porém hoje aqui será a tribuna livre do povo do Caputera, um projeto importante para a história do bairro", disse Rogério Franco.

Na sequência, Paulinho Lenha liberou a tribuna para que os moradores expusessem os problemas.

José Henrique, morador do loteamento Cerejeiras, criticou o transporte na região: "O ônibus aqui é uma bagunça. Deveria passar de 20 em 20 minutos e às vezes chega a demorar uma hora para passar. A estrada está cheia de crateras. O principal é manter as estrada, roçar o mato. É bonito bater palma para os vereadores, mas quero ver vocês botarem a mão na massa. Espero que a vinda de vocês não pare aqui", disse.

Sueli Lima falou da Saúde no bairro: "Temos muitas pessoas idosas e deficientes aqui e não temos médicos, só o Dr. Luis. Quando ele sai de férias, não há ninguém. Ou levamos para casa ou para o Embu. Colocamos o Carlão ali na prefeitura e fomos abandonados. Passamos mal e não temos a quem recorrer", ressaltou. "Outro problema é a lotação. Eu vou pro ponto as 04:40hs, e ela aparece as 05:20hs. Se reclamo, o perueiro manda eu reclamar pro Carlão. Isso é uma injustiça com os trabalhadores", disse. Sueli também reclamou da Educação: "As crianças fazem ginástica no frio e na chuva pois a quadra não é coberta. O material chega aqui no meio do ano, o uniforme não chega."

O jovem Antonio Ferreira Lima, representando os jovens do Caputera, reclamou que já foi prometido arrumar a quadra, porém faz mais de um mês, e nada aconteceu. "Tem uma trave que se você encostar pega tétano", disse. "Eu sou voluntário no esporte da escola, mas não tem condições. Vocês vem, inauguram e depois não dão manutenção. Tudo na vida tem que ter manutenção", ressaltou, reclamando que o único parque que há no bairro está coberto pelo mato.

Lourival, conhecido como Alemão, falou do Posto de Saúde: "Quero priorizar minha fala no Posto de Saúde daqui. Nós aqui com filhos doentes de madrugada e ficamos sem atenção. Chega a ser desumano", disse.

Malu Machado mora há 54 anos no bairro, e contou que quem dava assistência ali era o vereador Quinzinho, do Embu das Artes. "Os impostos são todos de Cotia, e temos que fazer tudo no Embu. É um desaforo isso! Nós que abrimos estradas e ruas aqui, cada morador deu um pedaço do seu terreno para ter estrada aqui", contou. "Vocês tem que ter um pouquinho mais de respeito com o cidadão caputerense", enfatizou, sendo fortemente aplaudida pelos moradores presentes.

Elizeu Nascimento é morador há 6 anos: "Eu sempre falo para os meus filhos que temos direitos e deveres. Quando me mudei para cá, a primeira coisa que fiz foi transferir meu título para a cidade, para poder reinvindicar meus direitos", falou. "Vou falar da segurança, pois aqui só vemos uma viatura quando acontece alguma coisa. Precisamos de um posto policial, disse. Elizeu gasta cerca de R$350,00 por mês de transporte. "O patrão não quer saber se você chega atrasado, e o transporte aqui é muito ruim". Para ele também há o problema da falta de iluminação na estrada: "Aqui há muitas igrejas evangélicas, e no término dos cultos, as pessoas saem em bandos no escuro. Sem iluminação correm o risco de serem atropeladas na estrada". finalizou.

Onéas Henrique, morador há 2 anos, disse que o povo ali é tratado com desdém. "No posto de saúde, as poucas vezes que tentei ser atendido, não consegui. As ruas não tem nome nem CEP. A gente não pode comprar as coisas a crédito por que eles pedem comprovante de endereço e não temos endereço. Não sei o nome da rua onde moro! Quando comprei minha casa me disseram que a rua era Eucaliptos. Hoje chamam ela de Figueiroa. Só tem postes no começo e no final da rua. Fui na Prefeitura, que me mandou na Eletropaulo, que me mandou na Prefeitura, que me mandou pro Meio Ambiente, que me mandou pra Prefeitura...Olhem nosso bairro com cuidado", pediu.

Pedro Alves mora há 40 anos no Embu, porém tem terreno no Caputera. "Não conheço político nenhum de Cotia, só por foto", disse reclamando também do Transporte. "Está cada vez pior, eles nos atendem de má vontade", ressaltou.

Foi reclamado ainda da falta de um espaço para as famílias se reunirem no final de semana. Todos foram unânimes em reconhecer o trabalho incansável do Professor Osmar no bairro.

O Professor Osmar falou a todos da importância de estarem ali. E explicou sobre algumas reclamações, como o parque que está abandonado: "Aquela área de lazer foi criada em um terreno particular. Agora ela foi desapropriada pelo prefeito e será construída uma praça, com área de lazer e creche para a comunidade", relatou. "Quanto ao asfalto, aqui tem mais de 70kms de estrada de terra. Já encaminhei algumas reinvindicações para o prefeito", disse, relatando que é morador do bairro há 30 anos. "Vamos esperar, algum fruto nós vamos colher", disse.

O Secretário de Obras, Benedito Simões, falou sobre o Plano de Obras para a cidade. "É através de quem reside aqui e conhece a região que podemos montar um plano de obras com as necessidades do Caputera. Com relação ao asfalto da Estrada da Represinha até aqui, vamos deixar a estrada com cara de estrada. A linha regular de ônibus está dentro do plano de transportes que está sendo licitado e que deve estar na Câmara no próximo mês", relatou.

Foi também relatado por alguns moradores o problema de água contaminada no loteamento Cerejeiras, além de problemas deixados pelo empreendedor. O vereador Toninho Kalunga sugeriu que seja levantado junto à Secretaria de Habitação, qual a responsabilidade do Município com esse empreendimento, para tentar resolver os problemas. O Secretário de Meio Ambiente, Dr. Laércio Camargo, que chegou no meio da reunião acabou escutando de Kalunga: "Temos em Cotia um tesouro ambiental que é o Caputera. Está na hora da população acordar, pois o Caputera será referência mundial em alguns anos. Espero que o Secretário de Meio Ambiente aqui presente, saiba definir políticas de preservação ambiental que gerem lucro aqui", ressaltou.

No final, dona Malu avisou o presidente que os jovens estão tão descontentes, que ao completar 16 anos estão indo tirar título de eleitor no Embu, pela falta de atenção que Cotia tem com eles.

Ao que Paulinho Lenha respondeu que tudo o que foi colocado na reunião será enviado ao prefeito. "Não vamos deixar o povo transferir o voto para Embu", disse, finalizando a Sessão.

Antes do presidente Paulinho Lenha finalizar a Sessão, o vereador Rogério Franco usou a palavra para falar das ações que a Câmara tem feito para melhorar a qualidade de vida das pessoas em Cotia. "A Câmara tem uma responsabilidade muito grande de cuidar das pessoas", disse.

Paulinho Lenha está animado com a continuidade das Sessões Itinerantes

Paulinho informou em primeira mão ao Portal Viva, que a próxima sessão já está marcada para o dia 16 de abril, e será no bairro dos Mendes, em Caucaia do Alto.

Matéria e Fotos: Fau Barbosa

Visitantes Online:

Temos 707 visitantes e Nenhum membro online