Por Fau Barbosa

Bom dia!!! Hoje "acordei com a corda toda" e com vontade de mostrar todas as promessas feitas por certos empreendimentos aqui da Granja, que até hoje não foram cumpridas.

E não são poucas não viu??? Pois eu tive bastante paciência e na manhã de hoje fotografei caso a caso, pra deixar bem documentadinho.

Vamos relembrar e levantar esses "defuntos"? Quem sabe assim alguma coisa boa acontece, né?

Passarela do km 23

A primeira promessa aconteceu quando o Walmart chegou na região em 2008. Em reunião com a comunidade, os diretores prometeram a implantação de uma passarela no km 23. Isso até hoje não saiu do papel. Muito blábláblá pra pouca ação.

Passados quatro anos da promessa (você não leu errado, não, são quatro anos mesmo!!!), o problema "seria resolvido" com uma parceria feita com a chegada do Shopping Granja Viana...mas...ledo engano...

A notícia foi publicada aqui no Blog da Fau, em novembro de 2010, com o título "Finalmente passarela do km 23 vai sair do papel" (leia aqui). Mas foi só mais um "embromation" e tudo continua como está!...Até hoje não fizeram a tal passarela!

Local onde deveria ter sido construída uma passarela, prometida pelo Walmart

Resultado? Os pedestres tem que se sujeitar a dar uma imensa volta a pé para chegar ao ponto de ônibus do outro lado da Raposo. Isso sem contar os assaltos que são rotina na subidinha até o viaduto, ao lado da GE.

E aí gente? O que vocês vão fazer? O povo quer saber!!!

Acesso de saída do Walmart para a Raposo

A saída do Walmart é outro problema sério que até hoje não foi corrigido. Os motoristas saem do hipermercado a toda velocidade e não param na curva que bifurca com a marginal do shopping. O resultado são vários acidentes ali, pois quem vem da marginal também aproveita o retão e não diminue a velocidade.

Já foi feita a sugestão para que se coloquem tachões para liminar a velocidade, tanto na saída do Walmart como na marginal do Shopping. Até agora, nem um nem outro se preocupou em resolver o problema. Os acidentes continuam.

Para que ninguém diga que "não entendeu", vou desenhar umas bolinhas vermelhas onde precisam ser colocados os limitadores (leia-se "tartarugas"), ok? :)

São simples ações que resolverão de vez um grande problema né? Não é difícil, basta ter vontade de fazer! E aí, quem vai fazer???

Câmeras de Monitoramento

E falando em assaltos, vamos por o dedo em mais uma feridinha. O Shopping quando chegou prometeu que iria instalar um sistema de monitoramento triangulado (leia aqui), com câmeras instaladas na sua entrada, no viaduto Willian Ortiz e outra na caixa d´água do Walmart Granja Viana.

A matéria foi publicada no Portal Viva em primeira mão, inclusive com fotos mostrando todo o projeto.

Monitoramento na região foi prometido em 2010. Promessa já vai fazer dois anos.

Na teoria, tudo muito lindo, digno de um sonoro "Ohhhhh"! Mas ficou também no blábláblá até agora.

Cadê o monitoramento Shopping Granja Viana???

Rua Adib Auada e o impacto na vizinhança

A vizinhança tem sido rendida todos os dias em assaltos à mão armada e roubos de veículos praticados no entorno do empreendimento, principalmente na Rua Adib Auada e na marginal da Raposo. (Uma situação que não existia antes de "vocês" chegarem).

Lembro que alguns amigos me diziam pra não reclamar da obra (que gerou um caos na vizinhança), pois eu ia poder ir a pé para o Shopping. Outro ledo engano, e que eu já tinha cantado a bola lá atrás: como ir a pé, mesmo tão próximo, sem ser assaltado em plena luz do dia???

Outro ponto é o estacionamento irregular na rua Adib Auada, que não tem nenhuma fiscalização. Mesmo com as placas de proibido estacionar, os motoristas param sem nenhuma cerimônia. E quando voltam..."cadê meu carro"???

"Natureza morta???"

Ahhh...quero aproveitar e colocar à disposição os meus "serviços de Paisagista" (risos). Por que vamos falar sério, que tristeza dá ver aquelas palmeiras colocadas no canteiro da marginal da Raposo hein? Uma verdadeira "Natureza Morta" e ninguém se mexe.

Palmeiras "mortas" formam um "portal" no ponto de ônibus em frente ao Shopping

Estão esperando morrer o resto pra tirar tudo? Pelo visto não tem ninguém preocupado, vide o mato que invade o canteiro. Mas a comunidade está vendo e criticando bastante a falta de cuidados com o Meio Ambiente.

Acesso do viaduto para a Adib Auada

Outra promessa feita com a vinda desses empreendimentos, foi a melhoria do "bico" de entrada na Rua Adib Auada. A suposta obra começou com o alargamento da rua no perímetro da GE, e terminou com a construção de uma calçada que parou na metade. Os pedestres chegam ali e tem que andar na rua, no ponto mais perigoso onde o motorista não tem espaço e o pedestre corre riscos de atropelamento.

A calçada acaba no barranco, onde estava prevista a construção do novo acesso ao viaduto, com a cessão de terreno feita pela GE.

Perigo: Ultrapassagem em uma rua estreita, subida, e sem calçada para pedestres

Isso sem contar os caminhões que estacionam do outro lado da rua, bem em frente a obra de outro empreendimento, o Prime, que nem calçada fez ainda e o espaço onde ela deveria existir está cheio de tapumes jogados, obrigando os pedestres a andarem na rua.

Caos no trânsito local

Quando o shopping chegou, junto chegou a promessa de uma reconfiguração geométrica viária, pra acabar com a bagunça de quem quer sair da Rua Mathias Barbosa e da Rua Monet e entrar na Rua Adib Auada, sem ter que brigar com quem entra da Raposo (viaduto e rodovia).

Esse é mais um projeto que foi prometido à comunidade do entorno e não saiu do papel.

Projeto de reconfiguração geométrica e viária para a confluência da Rua Monet e Rua Adib Auada, com a Raposo Tavares, prometido com a vinda do Shopping, e que ainda não saiu do papel.

E mais uma vez, o pobre do pedestre foi esquecido, pois fica ilhado e não consegue atravessar. Já aconteceram, inclusive, alguns atropelamentos ali e num deles, uma senhora moradora de um condomínio, acabou falecendo.

No local, motoristas não respeitam o pedestre, que vive um stress diário na luta pela vida.

Conclusão

Pelo visto, os empreendedores locais não estão muito preocupados com a comunidade do entorno, né? Depois reclamam que a comunidade boicota os empreendimentos, mas como não boicotar se não nos respeitam? Parem de fazer "cara de paisagem" e tenham empatia pela comunidade onde estão inseridos!

E depois de tudo isso, fica aqui uma última pergunta, que já foi feita também em 2010 e também não teve resposta:

De quem é a responsabilidade pela iluminação do viaduto Willian Ortiz e da praça que dá acesso ao ponto de ônibus da Raposo - sentido Cotia? Essas áreas são utilizadas por alunos das escolas próximas, por funcionários de restaurantes e por outras pessoas que frequentemente são vítimas de assaltos por conta da escuridão.

Com a palavra, o DER.

Fotos: Fau Barbosa

Visitantes Online:

Temos 744 visitantes e Nenhum membro online