Por Thomas Moscovitz

O assunto é sério e a doença é grave.

Aborto sem explicação pode ser sim causado por trombofilia, que significa ter a tendência a desenvolver trombose (coagulação do sangue), doença que, geralmente, está relacionada a problemas com a gestação e pode aparecer também durante o parto ou após o nascimento do bebê.

E você deve se perguntar: O que leva uma mulher a desenvolver esta doença? Nem todas as causas são comprovadas, no entanto, o fator genético para esta interferência no sistema de coagulação do corpo deve ser considerado. Ainda, há a possibilidade de a gestante tê-la adquirido por causa de outras doenças como obesidade ou pressão alta.  Vale ressaltar que não é anormal que a futura mamãe passe por um processo natural de hipercoagulação, o que é necessário para encerrar a hemorragia que acontece após o parto. Fique atenta.

Os sintomas da doença podem ser muitos, a começar pela formação de coágulos sanguíneos que ocorrem com mais frequência em veias profundas das pernas, causando inchaço, vermelhidão, calor no membro afetado e dor. Já a trombose arterial pode causar sintomas de AVC (Acidente Vascular Cerebral) como dormência, fraqueza, perda de visão e fala mole. Em alguns casos, ela pode ser assintomática, dificultando o diagnóstico.

É de suma importância as mamães saberem que a trombofilia pode causar a morte do bebê, portanto, deve ser rigorosamente tratada. Além da possibilidade de entupir as veias do coração ou cérebro, pode obstruir as veias da placenta, diminuindo o fluxo sanguíneo – lembrando que o sangue é o que nutre o bebê – e a oxigenação dos tecidos. Caso a grávida tenha histórico da doença na família, tenha tido abortos naturais repetidos ou caso de pré-eclâmpsia grave, o ginecologista poderá solicitar uma investigação laboratorial e, se detectada a trombofilia, acompanhá-la com cuidado na gestação. O profissional também ficará de olho na formação de coágulos sem uma causa óbvia.

O tratamento é feito com medicamentos que diluem o sangue e devem ser administrados ao longo da vida. Em nível de conhecimento, saiba que o tabaco pode aumentar as chances da mulher ter um distúrbio de coagulação. A trombofilia pode influenciar na fertilidade. Portanto, o tratamento costuma melhorar as chances de gravidez e de uma gestação saudável.

Dr. Thomas Moscovitz – Doutor pela Faculdade de Medicina da USP. Especialista em: Ginecologia – Obstetrícia – Videolaparoscopia – Videohisteroscopia. Assistente Voluntário do Departamento de Ginecologia e Obstetrícia da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo. Médico Ginecologista na Granmedic.

Visitantes Online:

Temos 691 visitantes e Nenhum membro online