Por Thomas Moscovitz

Ela fez a mulher mandar e desmandar no próprio corpo, podendo ter a opção de escolher entre ser mãe ou não.

São muitas as mulheres que fazem uso da pílula anticoncepcional. No entanto, apesar de usada por pessoas de diferentes idades, sua administração contínua causa
dúvidas, afinal, grande parte acredita que pode correr algum risco devido a ingestão de hormônio em excesso.

Isso é mito.

Afirmo que não existe nenhum estudo que comprove que pausar o anticoncepcional beneficie o organismo feminino.  Além disso, tomar anticoncepcional por um longo período não influencia na fertilidade da mulher. Ela pode sim ter dificuldades de engravidar por algum problema específico ou até mesmo pela idade, mas não pelo uso contínuo de pílula.

Aliás, alguns pontos negativos devem aqui ser levantados como: se a mulher pausar e retornar, passará pelo início crítico de readaptação do organismo. Sem contar que você perde o costume de tomar diariamente o remédio, correndo o risco de engravidar diante de um único descuido.

Existem pílulas que necessariamente devem ser tomadas de maneira contínua, sem pausa de uma cartela para outra. Isso porque algumas unidades não são ativas para que a mulher menstrue normalmente. Outras cartelas possuem comprimidos com doses hormonais iguais, capaz de interromper a menstruação pelo período respectivo ao da ingestão.

Existem também as pílulas com hormônios, com baixa dose. Estas, por exemplo, podem oferecer efeitos colaterais inferiores e influenciar na redução de cólicas e erosões na pele. 

Portanto, saiba que interrompendo a administração do anticoncepcional, dentro de um mês o corpo feminino está com o ciclo menstrual normal e preparado para receber uma gestação.

Mas, para quem prefere não se precaver com hormônios, pode conversar com o ginecologista para utilizar outros métodos contraceptivos.

Orientação de como administrar o anticoncepcional
O esquema é o seguinte: no primeiro mês, ela deve começar a tomar a pílula no primeiro dia de sangramento menstrual e seguir tomando por 21 dias seguidos, sempre no mesmo horário.

Depois faz uma pausa de sete dias e recomeça a tomá-las, seguindo a mesma orientação: toma por 21 dias consecutivos, para sete dias, volta tomar 21, para sete, e assim sucessivamente.

Dr. Thomas Moscovitz – Doutor pela Faculdade de Medicina da USP. Especialista em: Ginecologia – Obstetrícia – Videolaparoscopia – Videohisteroscopia. Assistente Voluntário do Departamento de Ginecologia e Obstetrícia da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo. Médico Ginecologista na Granmedic.

Visitantes Online:

Temos 742 visitantes e Nenhum membro online