Por Thomas Moscovitz
A gravidez é um período em que a mulher deve estar imunizada, afinal, todos os anticorpos são passados de mãe para filho, seja durante a gestação ou no período da amamentação.

Isso quer dizer que se você tomar as vacinas necessárias enquanto estiver grávida, o bebê estará protegido nos primeiros meses de vida.

A Tríplice Bacteriana Acelular Adulto (aTpa) deixa imune a mulher contra difteria, tétano e coqueluche. A vacinação gratuita na rede pública já foi aprovada e foi iniciada em 2014, mas as pacientes podem ser encaminhadas a clínicas de vacinação privadas.

Os médicos alertam para a importância da Tríplice, já que a coqueluche é uma doença infecciosa aguda, de transmissão respiratória, causada por uma bactéria que aflora um quadro inflamatório nas vias respiratórias. Em algumas situações, pode levar a morte por insuficiência respiratória. Dispensa dizer que é gravíssima para os bebês, principalmente os que têm menos de seis meses de vida.

Dados da UNICEF afirmam que cerca de 300 mil crianças morrem todos os anos de coqueluche e, geralmente, a mãe é quem transmite a doença. No Brasil, em 2012, foram 74 mortes, na maioria crianças com menos de um ano de idade. Em 40% dos casos, a mãe foi a transmissora da doença.

A antitetânica previne contra o tétano acidental e neonatal – uma doença transmissível e não contagiosa - que pode ser contraído por meio de ferimentos ou lesões ocorridas por materiais contaminados (no primeiro caso), por infecção umbilical ou até mesmo por falta de higiene na região do umbigo (no segundo caso). Não é uma doença comum, mas pode levar o bebê à morte, afinal, acontece por conta de uma bactéria tóxica que paralisa os músculos e a respiração, acarretando uma parada respiratória e, como consequência, a morte.

Já a difteria é causada por uma bactéria que se aloja nas amígdalas, faringe, laringe, nariz e ocasionalmente, em outras mucosas e na pele; dependendo do caso, pode causar um edema no pescoço, levando o indivíduo a asfixia, o que pode ser de extrema gravidade para um recém-nascido. O bebê pode ser vacinado contra esta doença somente após o segundo mês de vida, portanto, nós, médicos, damos tanta importância para ele chegar ao mundo imunizado.

Se você tomou a vacina há mais de cinco anos e pretende engravidar, converse com seu médico e imunize-se. As gestantes podem tomar a vacina Tríplice a partir da 20º semana de gravidez. Quem nunca tomou terá que encarar três doses.  

Pelo bem da saúde, recomendo que adolescentes e adultos que terão contato próximo ao bebê também se vacinem.

Dr. Thomas Moscovitz – Doutor pela Faculdade de Medicina da USP. Especialista em: Ginecologia – Obstetrícia – Videolaparoscopia – Videohisteroscopia. Assistente Voluntário do Departamento de Ginecologia e Obstetrícia da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo. Médico Ginecologista na Granmedic.

Visitantes Online:

Temos 716 visitantes e Nenhum membro online