Por Thomas Moscovitz

Essa história de ficar deitada com as pernas pra cima porque está grávida é coisa do passado.

Hoje, nós, médicos, indicamos sempre que a gestante se movimente e faça algumas atividades que, claro, não ofereça riscos nem a ela e nem ao bebê.

Se você não recebeu nenhuma orientação do seu médico para ficar em repouso, saiba que dedicar-se a uma atividade física vai auxiliar no tônus muscular, na resistência (até mesmo porque a mulher carrega um peso extra na gestação), contribuirá no momento do parto e ainda ajudará na hora de voltar à forma quando o bebê, finalmente, chegar ao mundo.

Dar uma boa caminhada pela manhã ou encarar uma natação, por exemplo, pode diminuir os desconfortos físicos como dores nos pés, nas pernas e nas costas. Além disso, é uma forma de combater a prisão de ventre e a fadiga. Outro benefício é a diminuição do inchaço, que incomoda bastante as grávidas.

Importante mesmo é você conversar com o seu médico antes de começar a se dedicar a qualquer atividade.

Se estava acostumada aos exercícios de alto impacto, aconselho a reduzir a carga dos treinos. A gravidez e o bebê exigem mais oxigênio da mulher, portanto, treine mas sem ficar ofegante ou perder o fôlego. Outra dica super importante é que a gestante evite aumentar muito a temperatura corporal no primeiro trimestre.

Atente-se à questão dos exercícios de barriga para cima ou que deixem a mulher em pé por muito tempo. Estas duas posições interferem no fluxo de sangue para o bebê.

Exercícios considerados seguros na gestação:

- caminhadas
- corridas leves
- bicicleta ergométrica
- natação e hidroginástica
- ioga e pilates

No pós parto, comece devagar a sua rotina de exercícios, principalmente se passou por uma cesariana.

Visitantes Online:

Temos 660 visitantes e Nenhum membro online