Por Thomas Moscovitz
Para esta coluna, resolvi abordar um tema de suma importância na vida e intimidade de um casal, até mesmo porque, apesar de não ser tão comum, pode acontecer com qualquer homem.

O assunto escolhido para abordar foi a fratura de pênis, que é o rompimento de suas estruturas.
Vou explicar melhor:
Os corpos cavernosos, que são a estrutura erétil do órgão (responsáveis pela ereção), são circundados por uma capa firme. Se o pênis fica muito ereto, esta capa se alonga ao máximo, tornando-se muito fina e sensível. Um acidente numa circunstância como esta provoca uma ruptura nesta capa e ela se rasga.
Durante a relação sexual, é comum que traumas assim ocorram quando a mulher está sobre o homem, já que ele, se está por cima, tem total controle dos seus movimentos.
Se, de forma brusca, a parceira tenta introduzir o pênis na vagina, pode ocorrer o trauma. Nestes casos, o pênis ficou apertado entre a vulva e o ânus, a que damos o nome de períneo.
No momento do traumatismo – ou seja, ele se curva de uma maneira extrema - a ereção acaba, o pênis deve aumentar de tamanho – podendo apresentar deformação - e exibe um hematoma.  
O homem que sofrer ruptura peniana deve dirigir-se a uma unidade de saúde imediatamente e, o ideal, é que não esconda de sua parceira, fique constrangido em buscar ajuda ou tenha preconceito de recorrer a um médico, afinal, em alguns casos, a cirurgia se faz necessária para a restituição da capa que envolve a uretra. A omissão pode comprometer a ereção do homem por meio da fibrose, a sequela mais comum nestas situações. Ainda, pode haver aumento da hemorragia com consequente formação de um hematoma ainda maior, deformidades importantes do pênis ou formação de abscesso. Ainda, o tecido erétil (a capa) é substituído por um tecido não erétil, incapacitando a ereção.
Se a uretra foi atingida, dificuldade para urinar ou sangue na urina acompanham o quadro clínico.
Se procurado um médico com rapidez, os riscos de desenvolver alguma sequela é pequena.
Uma das recomendações médicas é respeitar um prazo para voltar a ter relações sexuais.
Se não esperar a cicatrização, pode haver uma nova ruptura desta capa já que, quando o pênis está ereto, existe uma grande pressão de sangue no órgão.

Dr. Thomas Moscovitz – Doutor pela Faculdade de Medicina da USP. Especialista em: Ginecologia – Obstetrícia – Videolaparoscopia – Videohisteroscopia. Assistente Voluntário do Departamento de Ginecologia e Obstetrícia da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo. Médico Ginecologista na Granmedic.

Visitantes Online:

Temos 756 visitantes e Nenhum membro online