Por Thomas Moscovitz

Um procedimento de esterilização bastante comum entre as mulheres é a laqueadura.

Saiba que é uma cirurgia simples que consiste em uma incisão abdominal que veda as tubas uterinas, tornando impossível a passagem do óvulo e do espermatozoide, logo, a fecundação não pode ocorrer. Além do corte, o procedimento prevê a amarração das extremidades das tubas uterinas.

O procedimento, de modo algum, interfere na libido ou no ato sexual. Vale a pena lembrar que a laqueadura não apresenta nenhum efeito colateral no decorrer dos anos. Não causa dor ou qualquer incômodo na paciente e nem viabiliza o ganho de peso.    

As que optam por fazer o procedimento após o parto, deve saber que este tipo de esterilização também não interfere na amamentação e, consequentemente, na saúde do bebê. É importante que as mulheres pensem bem antes de tomar esta decisão. As que optam pela laqueadura podem solicitar a reversão do procedimento que, apesar de complicado, dá certo em 80% dos casos. Mas, fique atenta. Não são todos os ginecologistas que realizam esta cirurgia de reversão – somente os especializados em laparoscopia - e ela nem sempre é possível, portanto, a laqueadura é considerada um método quase que irreparável.  

Nem todos sabem, mas só será possível se reverter uma laqueadura se o final das tubas tiver sido devidamente preservada e a tuba uterina esteja sem dilatação. Este tipo de cirurgia, a de reversão, é realizada por laparoscopia, ou seja, por meio de
pequenos cortes é realizada a religação das trompas e, após 30 dias, a recuperação fértil da mulher poderá ser comprovada, após ocorrer o seu completo ciclo menstrual. Neste caso, é relevante dizer que a paciente estará com chances reduzidas de conseguir engravidar e a gestação poderá vir em até 12 meses.

No mais, sempre digo que, antes de tomar uma decisão que possa interferir desta forma na fertilidade, é importante conversar com um médico, afinal, é grande o número de mulheres que se arrepende do procedimento e cerca de 2% delas procuram algum tipo de reversão.

Às vezes, é importante apresenta-las a outros métodos contraceptivos que podem ser facilmente reversíveis. Um deles é o DUI (dispositivo intrauterino) que oferece total segurança e pode ser retirado quando a mulher desejar e por qualquer ginecologista.

Visitantes Online:

Temos 1041 visitantes e Nenhum membro online