Por Rogerio Ruschel (*)
A convite do Fundo Vale, tive o privilégio de assistir a mais completa, mais criativa e mais interessante apresentação sobre “O Futuro Climático da Amazônia” de todas as dezenas que já assisti nos últimos 25 anos.

Feita pelo pesquisador Antonio Donato Nobre, do INPA e INPE, a apresentação resumiu em linguagem simples (“para leigos”), dados de mais de 200 estudo sobre o assunto, a pedido da Articulación Regional Amazônica (ARA), com o apoio Fundação Avina, ISA, Skoll Foundation, Fundo Vale, Observatório do Clima e WWF. Uma apresentação assombrosamente profunda e despudoradamente simples.



Preparada em power-point com bom gosto gráfico, linguagem simples e animações científicas (como uma da NASA com 20 anos de chuvas e furacões no planeta), a apresentação de 45 minutos apresentou cinco segredos da Amazônia, o sistema ecológico de regulação climática entre o “oceano azul”, o “oceano verde” e a cordilheira dos Andes, e o valor e importância dos serviços ambientais planetários produzidos pela Amazônia.

Anotei esta frase de Nobre: “Se o pessoal do agribusiness entendesse o papel das florestas e o que está acontecendo sem elas, estaria disputando espaço para realizar campanhas contra o desmatamento com o Greenpeace, a SOS, o WWF e outras ONGs, para manter seu negócio”. E é verdade. Nobre propôs uma mobilização baseada em cinco pontos, sendo que o primeiro é iniciar imediatamente uma guerra total e definitiva contra o desmatamento.

Concordo e declarei guerra. Mas acho que já não basta publicar artigos ou reportagens sobre isso, porque tirando os completamente estúpidos e os mal-intencionados, “todo mundo já sabe”; a guerra é para mudar comporrtamento e porisso exige conversa olho-no-olho, para grupos, todos os dias, em sessões contínuas em todos os lugares, como nos bancos da Academia, salões corporativos, salas de políticos e mesas de bar em comunidades.

Espero que a ARA compreenda que a parte mais importante do projeto é esta, que começa agora: ter um grupo de gladiadores capacitados levando esta apresentação para legiões de expectadores, porque não dá para delegar essa responsabilidade apenas para pesquisadores. Estou pronto para pegar em armas e conclamo quem puder fazê-lo.

O estudo está disponjivel no link http://www.ccst.inpe.br/wp-content/uploads/

2014/10/Futuro-Climatico-da-Amazonia.pdf

(*) Rogerio Ruschel é granjeiro, jornalista e consultor especializado em marketing e comunicação para sustentabilidades socioambiental

Visitantes Online:

Temos 599 visitantes e Nenhum membro online