Rogério Ruschel

Por Rogerio R. Ruschel (*)

A existência de uma economia verde pressupõe um ambiente normativo incentivador, um modo de produção com foco em melhores práticas, consumidores com mais consciência e, óbviamente, produtos mais sustentáveis.

Sou jornalista especializado em meio ambiente e reconheço a veracidade das críticas feitas por ambientalistas aos danos gerados pela pecuária na Amazônia.

A Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS) - que completou um ano neste agosto de 2011 - está  promovendo uma revolução silenciosa (que logo vai ficar barulhenta quando as multas começarem a ser aplicadas) porque trata de temas sensíveis, amplos e variados como áreas contaminadas, ciclo de vida do produto, coleta seletiva, controle social, destinação final ambientalmente adequada, gerenciamento de resíduos, gestão integrada, reciclagem, rejeitos, responsabilidade compartilhada, reutilização e serviço público de limpeza urbana.

A sustentabilidade contagia – e uma das provas é o que acontece no projeto Sustentabilidade de Ponta a Ponta, lançado em julho por 14 organizações lideradas pelo Walmart.

Visitantes Online:

Temos 664 visitantes e Nenhum membro online