A última reunião do grupo Think Tank levantou um debate diferente e visto por muitos como curioso: a astrologia e como ela pode ajudar as pessoas. E para falar sobre isso, trouxe o granjeiro Sergio Frug!

Sérgio iniciou a palestra falando sobre o começo de suas atividades na astrologia, como um hobby, há 25 anos.

Ele é formado em engenharia há 39 anos, onde trabalhou até 1986, quando um processo pessoal o levou a fazer essa transição. Sergio deixou de ser engenheiro, procurando entender, nesse intervalo, o que fazer. Já na época, tinha como hobby a astrologia. "Tive uma visão num determinado momento que deveria profissionalizar esse hobby", disse. 'Isso enriqueceu muito minha vida e foi uma boa opção", declarou.

A VISÃO HOLÍSTICA

"Saí de uma profissão que me esgotava e me estressava muito. A própria astrologia foi me orientando e me mostrando meu caminho", explicou. "Não sou místico, não sou voltado para o ocultismo ou coisas que não se possa sentir ou explicar. Fui aderindo à um tipo de visão que é a visão do todo, a visão orgãnica", relatou. Ele utiliza hoje a visão racional que desenvolveu na engenharia, com a visão intuitiva da astrologia.

Sergio citou a astrologia como uma ferramenta para o desenvolvimento humano, em busca da qualidade de vida, e através do cooperativismo e da unificação.

"A observação dos movimentos celestes, dos corpos celestes, geraram simbolismos, significados e movimentos aqui na terra, tais como a comunicação entre os homens, o comércio mexendo também com os grandes fenômenos da natureza (como vulcões e terremotos)", citou.

"Eu acredito que tudo faz sentido, e nada é por acaso", relata.

Segundo Sergio, tudo é um processo. "Você olha para uma mandala, para um círculo, e mergulha numa visão holística. "A ciência reconhece os dois lados do cérebro (racional e intuitivo). Os próprios hemisférios do planeta mostram essa visão (ocidente e oriente). Tudo leva para os dois lados (masculino e feminino)", explicou.

Entre várias perguntas dos presentes, Sérgio Frug falou sobre o boom de espiritualistas, dos psicólogos, da física quântica, do desenvolvimento do paradigma holístico, do separativismo do processo cartesiano, da visão holística na busca da verdade (e do engrandecimento) e também da astrologia como ferramenta desenvolvida pela humanidade, para servir a própria humanidade. Deu ele vários exemplos de visões intuitivas e perceptivas através de fatos históricos, inclusive bíblicos.

"Caim era o agricultor, o racional. Abel era o cuidador do rebanho, o intuitivo", disse. "Salomão, era o símbolo da sensibilidade, numa época em que a tecnologia começou  a ser aprimorada", explicou.

Hoje ele trabalha com sua formação em Terapias Psico-física-espirituais pelo Sistema Rio Abierto (Buenos Aires), Antroposofia (Pedagogia Curativa) e Life & Self Coaching pelo Instituto Holos. Mora em Caucaia do Alto e atende principalmente na Granja Viana.

Sergio exemplificou como utiliza a astrologia para ajudar as pessoas.

"Temos dois olhos, e na medida em que forem se encontrando, se unindo, vamos conseguindo uma visão harmônica, que ofereça a partir do lado mais sensível, uma coisa boa para as pessoas e consequentemente a melhoria na sua qualidade de vida", disse.

Ele falou ainda sobre como é feito o mapa astral, que nada mais é do que a fotografia do céu no momento de determinada vibração, "como por exemplo o momento do seu nascimento".

Um dos presentes perguntou se Frug considerava a astrologia uma ciência. "A astrologia é uma ciência espiritual, é uma arte. Ela não prevê o futuro, mas prepara para o futuro. Todos intuem dentro de si a verdade, permitindo assim, que todos saibam o que é justo", ressaltou.

Foi ainda questionado se, nas macro situações, os fenômenos celestes são cíclicos. "Os ciclos se repetem sim, mas de maneiras diferentes porque leva-se em consideração não só o movimento em si daquele astro, mas também a posição de outros corpos celestes em relação ao ciclo principal", respondeu.

E como a sociedade pode usar o ferramental da astrologia para se conhecer melhor? O que é a sociedade para a astrologia?

"A sociedade deve ser formada pelas qualidades das individualidades e deve compreender a individualidade. Seria muito importante ter a matéria de astrologia no currículo do ensino regular, disse Sergio.

Segundo ele, a astrologia tem condições de modificar a sociedade, sendo apresentada como desenvolvimento humano.

"A esfíngie já dizia: Conhece-te a ti mesmo", finalizou.

Fau Barbosa

Visitantes Online:

Temos 827 visitantes e Nenhum membro online