A Praça da Matriz amanheceu repleta de papel kraft já riscado com os temas, muita serragem colorida, tampinhas de garrafa pet, pó de café,
casca de ovo, serragem natural, areia tingida, fubá, farinha de trigo, farinha de milho e sal (estes últimos, todos vencidos).

A equipe organizadora, e os desenhistas Marcos Vinícius, Maria Neoli, Hélio Junior e Wellington o "Neguinho", riscam os papéis todos os anos, e trabalhavam animados preenchendo os tapetes. Este ano, o grupo aumentou, com a chegada do "Pão", apelido dado ao Gabriel.

"São mais de 140 pessoas envolvidas no trabalho, e 160 kilos de material colorido e 80 kilos do natural", disse Neoli.

Estava bonito de ver a comunidade unida, que passou o dia trabalhando na confecção dos tapetes. As crianças ajudaram, e todos deram o melhor de si para que a comemoração saísse perfeita.

VEJA COMO FOI A CONFECÇÃO DOS TAPETES

Foi enfeitado todo o chão em volta da Igreja Matriz, e nas extremidades das ruas (Batista Cepelos e Senador Feijó), onde mais tarde, voltamos para acompanhar a procissão.

Matéria e fotos: Fau Barbosa

Visitantes Online:

Temos 534 visitantes e Nenhum membro online