Padre Inacio

O segmento turístico tem sido trabalhado de forma regional no Brasil, a partir do Programa de Regionalização promovido pelo Ministério do Turismo.

O Estado de SP, liderado pela Secretaria Estadual de Esportes, Lazer e Turismo tem promovido a criação e fortalecimento de circuitos turísticos, através das macrorregiões. Cotia está inserida na macrorregião Capital Expandida e participa de dois circuitos atualmente: Taipa  de Pilão e Itupararanga.

CIRCUITOS TURÍSTICOS (CTS) REGIONAIS

CT ITUPARARANGA

ItupararangaO Circuito Turístico Itupararanga, é formado pelas cidades localizadas na área de influência da APA (Área de Proteção Ambiental) de Itupararanga, abrangendo os municípios de Cotia, com a área do distrito de Caucaia do Alto, Ibiúna, Vargem Grande Paulista, Piedade, Votorantim, Alumínio, São Roque e Mairinque. A formalização do Circuito Turístico Itupararanga ocorreu em março de 2006, a partir da Carta de Piedade, fruto de reunião dos prefeitos das cidades envolvidas e por todos assinada, reunião essa sediada à época na cidade de Piedade; hoje o circuito consta no site do Ministério do Turismo como um dos roteiros consolidados no Programa de Regionalização.

Cotia e o Circuito Turístico Itupararanga (CTI)

RepresaO distrito de Caucaia do Alto, área participante de Cotia no CTI, é a região rural e florestal da cidade. Pequenas e médias propriedades rurais dedicam-se ao cultivo de produtos hortifrutigranjeiros que abastecem o CEASA, e são parte integrante importante do Cinturão Verde de São Paulo. Floricultores também compõem o cenário da produção agrícola significativamente. Diversas práticas agrícolas delineiam-se nesse cenário, da agricultura tradicional à orgânica, passando pela hidroponia. , No distrito de Caucaia do Alto encontra-se quase totalmente inserida a RFMG – Reserva Florestal do Morro Grande, considerada Patrimônio da Humanidade pela UNESCO por sua notável biodiversidade e mananciais.

Manifestações culturais tradicionais tem vez em Caucaia, como a Romaria à Pirapora (67 anos de existência), Folia de Reis e São Gonçalo, violeiros, a Festa de São João. A gastronomia local rural tem sabor típico, com seu pastel de milho, chá de amendoim, “cardão”, entre outros exemplos.

Turismo em Caucaia

Coexiste no distrito uma ocupação, a partir da década de 70, de chácaras de lazer e clubes de campo, que a partir de 2000 começaram a ter usos diferenciados e públicos, como pesqueiros, mini-fazendas, hípicas e haras, bem como espaços de eventos;  muitas propriedades também começaram a ser locadas para festas e comemorações de grupos e empresas, por contarem com infra-estrutura de lazer como quadras, piscinas, chalés ou quartos de hóspedes, etc.

Desde a década de 80 a região é bastante procurada por jipeiros, andarilhos e bikers, em função de suas trilhas. A prática de esportes de altura foi iniciada por grupos de jovens locais em função das características físicas da área, e os esportes radicais ganharam o espaço na prática junto à natureza.

A maioria dos empreendimentos turísticos rurais carece de profissionalização tanto na gestão do negócio, como dos recursos humanos empregados, com alto grau de informalidade. A formatação dos produtos apresentados é irregular em termos de apresentação física e comercialização.

Melhorar o Turismo Rural em Caucaia

O Sindicato Rural de Cotia, com a diretoria presidida agricultor senhor Toshimi Kudo, com o apoio do Departamento de Turismo da Prefeitura de Cotia, irá promover no ano de 2009 um curso de Turismo Rural, em parceria com o SENAR.

O curso é destinado a proprietários rurais que tenham interesse em capacitar-se para transformar suas unidades produtivas em equipamentos aptos a receber turistas, aprimorando serviços e infra-estrutura.

CIRCUITO TAIPA DE PILÃO.

Taipa de pilãoOs primeiros trezentos anos iniciais da colonização do planalto paulista foram caracterizados pela presença de grandes fazendas, pontuadas pelos aldeamentos geridos por religiosos.

Ambas estruturas eram auto-suficientes, e muito pouco do que produziam revertia para a Metrópole Portuguesa. Por vezes, os proprietários das fazendas foram os mesmos personagens que estenderam as fronteiras dos territórios do interior do Brasil, à procura de pedras e metais preciosos além de escravos indígenas.

Os aldeamentos constituíram o projeto de “civilização cristã” de religiosos junto aos nativos, na tentativa de torná-los produtivos, colaboracionistas e tementes ao Deus cristão, através de ritos que sincretizaram a cultura autóctone, direcionando-a aos propósitos políticos e de evangelização.
As necessidades domésticas exigiam que as instalações dessas fazendas fossem edificadas nas proximidades de uma aguarda, à meia encosta, porém as grossas paredes de barro socado deveriam ser levantadas em terrenos planos; isso explica porque, nessa região de topografia mais acidentada, os seus construtores eram obrigados e situá-las no alto dos morros, onde os aclives são mais suaves.

O Circuito Taipa de Pilão é representativo do período da ocupação colonizadora do entorno oeste metropolitano, onde religião, disputa de países, exploração racial e formação efetiva da Insula Brazil como Estado se mesclam num apaixonante e (quase) desconhecido roteiro.

O Circuito Taipa de Pilão constitui-se basicamente de visitas monitoradas à Aldeia de Carapicuíba, Sítio do Mandu e Padre Inácio/Cotia, conjunto histórico de Santana de Parnaíba e Museu do Convento do Embu/Centro Histórico, visitas essas permeadas pelas possibilidades gastronômicas e de arte que cada município envolvido oferece.

Sto AntonioO IPHAN – Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional  é um dos atores que mais têm contribuído com a viabilização desse  Circuito, principalmente depois que restaurou (como contrapartida do RODOANEL) o Sítio do Mandu, devolvendo à comunidade a possibilidade de conhecer um casarão do século XVII, cujo proprietário primeiro ainda não sabe-se com certeza quem é, mas pode ser personagem significativo, não só na história de Cotia, mas que pode ter estado envolvido com a política da Capitania de São Paulo. Além disso, o IPHAN também retomou a questão de parcerias públicas para a gestão dos espaços em vários municípios onde possui bens (Cotia, Embu das Artes, Carapicuíba, São Roque), para tentar viabilizar a infra-estrutura necessária para que tais espaços possam desenvolver atividades culturais e artísticas apropriadas para um patrimônio histórico tombado.

A Aldeia de Carapicuíba é um marco na região, como aldeamento fundado por lei de 12 de outubro de 1580, junto com outros aldeamentos no entorno da Vila de Piratininga. A manobra jesuítica de reivindicação das terras através dos índios mostrou-se ecoada também no Embu, onde M’Boy de ontem reaviva aos nossos olhos, no tradicional mosteiro jesuítico transformado em museu sacro, tão sensivelmente representativo dos labores praticados pelos religiosos jesuítas, na arte da construção, escultura, pintura, entre outras aptidões.

Aldeia Carapicuiba Capela

As casas bandeiristas de Cotia, Sítio do Mandu e Sítio do Padre Inácio (este considerado pelo IPHAN o exemplar mais sofisticado de casa bandeirista, entre as 26 existentes no estado de São Paulo), representam a época do estabelecimento de uma elite agrária com grande influência nos destinos da vila de Piratininga e depois Capitania de São Paulo, com nomes que remetem à bandeirantes, oficiais do governo português; também essa foi uma época que enterrou vestígios da cultura indígena, e posteriormente negra, absorvidas para dar continuidade ao modelo  de produção vigente no período, de víveres e mão de obra. Os caminhos que entrelaçavam essas paragens, foram aproveitados pelos colonizadores a partir daqueles conhecidos pelos indígenas do Planalto, os tupiniquins. Tais trilhas ligavam Piratininga ao mar, bem como ao interior do País.

Mandu Padre Inacio
Museu Anhanguera Museu Jesuitico

O QUE VEM A SER "TAIPA DE PILÃO"

Sistema construtivo em que se emprega, na confecção de paredes e muros de fecho, a terra umedecida ou molhada. Seu uso é remoto, parecendo ter sido empregado desde tempos imemoriais no oriente, nos vindo através dos árabes, embora já fosse do conhecimento dos romanos. Em síntese, a parede de taipa de pilão é conseguida comprimindo-se a terra dentro de formas de madeira ou taipal, é constituída de de duas grandes pranchas compostas de tábuas emendadas de tôpo, que se mantêm de pé e afastadas entre si, graças a sistemas variaveis no tempo e no espaço em que são empregados pontaletes, travessas, escoras etc. (Fonte: Corona & Lemos, Dicionário da Arquitetura Brasileira, Edart, SP, 1972)

Colaboração: Cristina Oka - Diretora de Turismo do Município de Cotia

Visitantes Online:

Temos 750 visitantes e Nenhum membro online