Após continuar a receber inúmeras denúncias, a reportagem do Portal Viva esteve no último sábado no Condomínio Terras do Madeira, dentro do loteamento Fazendinha, em Carapicuíba.

Já havíamos feito matéria à respeito há alguns dias (leia aqui) cuja cópia foi inclusive encaminhada ao Secretário Estadual de Meio Ambiente - Xico Graziano - que disse se tratar de caso de polícia. Disse ainda que ia mandar averiguar.

O que sabemos é que a obra continua, e à todo vapor.

O LOCAL

Enquanto nossa reportagem aguardava a liberação de um morador para entrar no Condomínio, mais de quatro caminhões entraram "pela saída", carregados de terra, com liberação automática do portão.

Quando se chega ao local, logo que se ultrapassa a portaria do Condomínio, é na primeira "travessa" à direita que começa o crime ambiental - um local que antes era uma mata de várzea, margeado por um rio, que ainda passa pelo local, mas sabe-se Deus até quando...

"UM LOCAL MARAVILHOSO, QUE DEVERIA SER PRESERVADO", DIZ UMA MORADORA.

Três pessoas - denunciantes - acompanharam nossa visita e foram nos contando como tudo aconteceu.

"Essa rua não existia. Era mato, área de várzea. Foi tudo desmatado e a rua foi aberta, beirando o rio", disse um morador.

BURACO CAVADO MOSTRA ÁGUA, PRESENTE EM TODA A REGIÃO ATERRADA

A rua está praticamente "colada" no rio, e pode-se ver claramente vários corpos d´água ao redor do asfalto.

DEGRADAÇÃO TOTAL DE UMA ÁREA DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE (APP)

A quantidade de entulho jogada ao redor impressiona. Ali, ninguém está "nem aí pro Meio Ambiente".

Ao chegar no final da rua - já com guias e sarjetas em uma rua sem saída, flagramos caminhões despejando terra com entulho por todas as extremidades do terreno. Rapidamente, ao perceberem a presença da nossa reportagem, os homens que ali trabalham usam o telefone, como que informando alguém que tinha gente ali.

CAMINHÕES NÃO PARAM DE CHEGAR PARA DESCARREGAR TERRA E ENTULHO NO LOCAL

Entramos no terreno para ver "o que estava sendo aterrado". E a surpresa: um maravilhoso lago, com patos e uma belíssima vista, ali, morrendo aos poucos.

PRESENTES EM TODO O ENTORNO, OS CORPOS D´ÁGUA ESTÃO SENDO DESTRUÍDOS

Conversamos com os empregados da obra. Eles nos disseram que o dono do terreno é o atual Secretário de Obras de Carapicuíba. "É um tal de Joel da Madeireira. Ele vai construir uma casa aqui", disse o rapaz.

Enquanto isso, pudemos comprovar a chegada de - pelo menos - 8 caminhões de terra, descarregando na beira do lago.

SEM NENHUMA CERIMÔNIA, CAMINHÕES DESCARREGAM TERRA E ENTULHO NO LOCAL

A "pressa" em aterrar tudo rapidamente é explícita ali. Assim como é absurda a degradação da vegetação e dos corpos d´água ali presentes. Tudo ali "cheira" água. E a mistura de terra e entulho está acabando com tudo.

Um dos rapazes da obra desce até o local onde deve terminar o aterro. Ele nos mostra uma "estaca" que marca o limite de área a ser aterrada. Várias árvores estão no caminho e serão "soterradas".

EM TEMPOS DE PRESERVAÇÃO DA ÁGUA DO PLANETA, CENAS COMO ESSA SÃO ABSURDAS

INFORMAÇÕES RECEBIDAS

Após a visita ao local, toda documentada, tivemos acesso à algumas informações:

- A obra havia sido alvo de fiscalização por meio do BO/PAmb 090890, onde fora constatado que a área em questão era de propriedade do Sr. Joel - Secretário de Obras do Município de Carapicuíba.

- Em continuidade à fiscalização daquele BO/PAmb, lavrou-se, então, em 10FEV10 o BO/PAmb 100088, bem como os AIA 221154, 221153 e Termos de Advertência atinentes aos fatos.

- A ocorrência fora apresentada na Delegacia do Meio Ambiente, ocasião em que o Delegado de Polícia Dr. Marcelo José do Prado lavrou o BO/PC 18/2010, nos termos do Art. 48 da Lei de Crimes Ambientais.

- Segundo foi elaborado o BO/PAmb nº 100738, não foi encontrada nenhuma pessoa no local dos fatos, somente o porteiro do condomínio, devidamente qualificado nos Autos, sendo que a obra, aparentemente encontrava-se paralisada.

Ficam aqui duas perguntas dos próprios moradores: Até onde vai a Lei? E o que faz com que ela seja cumprida igualmente para todos (ou não)?

Nota da Redação: Entramos em contato com a Secretaria de Obras de Carapicuíba, porém a atendente Josy nos informou que o secretário não estava e que iria retornar nossa ligação, o que não ocorreu até o fechamento da matéria.

Matéria e fotos: Fau Barbosa

Visitantes Online:

Temos 701 visitantes e Nenhum membro online