Uma coruja da espécie buraqueira foi encontrada e resgatada na tarde dessa quinta feira. Ela foi entregue ao Departamento de Meio Ambiente.

O secretário adjunto Rubinho Gurgel, encaminhou a pequena ave à Clínica Granvet, no Jardim da Glória. Lá ela se encontra sob os cuidados do Dr. Marcio Garubuglo, especialista em espécies silvestres.

Marcio contou ao Portal Viva que a coruja chegou muito debilitada. "Ela mal conseguia abrir as asas e se alimentava com dificuldade", disse.

Sem poder definir a idade e o sexo da ave (muito difícil nesses casos), o tratamento escolhido foi uma alimentação de choque e fluiterapia, além de medicamentos específicos.

"De ontem para hoje ela já teve uma melhora significativa e provavelmente, após uma nova avaliação será devolvida à natureza nesse sábado", ressaltou Marcio. O secretário Rubinho pretende soltá-la na Reserva do Morro Grande.

CORUJA BURAQUEIRA

A Coruja-buraqueira recebe esse nome, pois vive em buracos cavados no solo. Embora seja capaz de cavar seu próprio buraco, prefere os buracos abandonados de outros animais, como o tatu. Alimenta-se de pequenos roedores, insetos, larvas e minhocas, etc...

É uma ave tímida, por isso, vive em lugares sossegados. Possui uma visão 100 vezes mais penetrante que a visão humana e uma ótima audição. Tem vôo suave e silencioso.

Tais aves chegam a medir até 27 cm de comprimento. Vivem no mínimo 9 anos em habitat selvagem e 10 em cativeiro. Coloca geralmente 6 a 12 ovos.

Matéria e fotos: Fau Barbosa

Visitantes Online:

Temos 394 visitantes e Nenhum membro online