O governador José Serra e o secretário de Saúde, Luiz Roberto Barata Barradas, participaram nesta terça-feira, 5, no Instituto Butantan, da cerimônia de recebimento das vacinas contra a gripe A H1N1

, que serão distribuídas pela Secretaria de Saúde a partir deste mês. Ao todo, serão distribuídas 41 milhões de doses da vacina, que faz parte da campanha nacional de imunização contra a doença. Os primeiros lotes chegaram ao Instituto Butantan na última semana e já foram colocados à disposição do Ministério da Saúde.

Na cerimônia de recebimento das vacinas, o governador ressaltou a instalação do laboratório produtor da vacina contra a gripe A H1N1, que deve começar a funcionar em meados de 2011. "De alguma maneira, o Brasil ficará com autonomia na produção dessa vacina da gripe", disse o governador José Serra.

"Essas vacinas serão importantes para a definição de uma estratégia de imunização que proteja os brasileiros contra a nova gripe, especialmente a parcela da população na qual a doença tem sido notoriamente mais agressiva", afirma o secretário da Saúde, Luiz Roberto Barradas Barata.

Do total de vacinas, um milhão de doses virá pronta do laboratório francês Sanofi-Pasteur. Outras 23 milhões chegarão dos Estados Unidos em frascos e receberão rotulagem no Butantan e 17 milhões virão a granel da França para serem formuladas, envasadas e rotuladas no instituto.

Na última quarta-feira, 30, o Butantan recebeu 600 mil doses prontas e outras cinco milhões, concentradas para envase. O instituto aguarda autorização da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) para a realização de ensaios clínicos com adjuvantes. "Das 41 milhões de doses, 17 milhões vão receber adjuvantes que ampliará o seu poder de prevenção, ou seja, valerá por duas', afirmou o governador.

A expectativa é que o restante das doses cheguem a São Paulo até o início de março. Todas as vacinas serão distribuídas em ampolas, com aplicação intramuscular, uma única vez.

Os critérios de vacinação foram definidos pelo Ministério da Saúde e preconizam que os primeiros a serem vacinados serão os trabalhadores da área da saúde envolvidos no atendimento à gripe, seguidos de gestantes, população indígena e portadores de doenças crônicas. O Ministério indica a vacinação desses grupos prioritários de modo gradativo e estuda a possibilidade de imunizar também crianças de 6 meses a 2 anos e adultos saudáveis.

Da Secretaria de Saúde

Visitantes Online:

Temos 651 visitantes e Nenhum membro online