No imaginário das pessoas a figura do dentista remete, automaticamente, àquele insistente barulhinho de motor, que vem daquele objeto obscuro, que entra na boca da gente para provocar grandes crateras a fim de extrair a inimiga mortal dos dentes: a Cárie.

 

Pensar que essa imagem pode ser excluída totalmente da relação paciente-dentista e que esse motorzinho se transformou num gel potente que extermina as cáries é algo absolutamente real no Brasil. A pesquisadora Profa. Dra. Sandra Kalil Bussadori* (UNINOVE/SP e UNIMES/Santos) criou a fórmula quase mágica do gel Papacárie que faz a remoção químico-mecânica da dentina infectada.

De fácil manuseio, seu método de aplicação é minimamente invasivo e seguro, pois não remove o tecido sadio do dente.  Indicado para todos os públicos, faz muito sucesso entre as crianças e pacientes mais sensíveis aos métodos tradicionais.

“Todos acham que é mágica, o que fazemos, ao aplicar o gel sobre o dente cariado, pois basta esperar alguns minutinhos que a lesão de cárie é desprendida sem necessidade de anestesia, na maioria das vezes. Essa técnica antiga e sedimentada da extração da cárie, com raspagem via aparelho motorizado, promete dar lugar a esse método que é mais barato, seguro e moderno, uma vez que não há perigo do gel remover a dentina, o que pode acontecer com o uso do motor pois, às vezes, ela é escura e, portanto, pode ser confundida com a cárie. Assim o Papacárie torna-se um grande aliado no combate a esse persistente inimigo das pessoas, só que agora pode ser combatido sem medo, sem dor e sem necessidade daquele barulhinho incômodo na sala do dentista”, afirma Dra. Sandra Kalil.

O Papacárie tem em sua fórmula a papaína, componente natural extraído da casca do mamão. Mas poucas pessoas sabem que o Brasil é precursor nesse segmento de tratamento alternativo e de excelente custo/benefício. O produto é vendido pela Fórmula e Ação (www.formulaeacao.com.br) e cada bisnaga com 3 g rende até 30 aplicações. “Esse produto é essencial para o programa de saúde bucal do governo ou de ONGs dedicadas à saúde da população. Os profissionais podem transportá-lo com facilidade, pois agora não precisa ser mantido em geladeira, apenas em local fresco e não há necessidade de equipamentos especiais para aplicação do mesmo”, finaliza.

*Sandra Kalil Bussadori -- Especialista em Odontopediatria. Mestre em Materiais Dentários pela FOUSP. Doutora em Odontopediatria pela FOUSP. Pós-Doutorado em Pediatria pela UNIFESP.Profª.  do Curso de Mestrado em Ciências da Reabilitação da Universidade Nove de Julho – UNINOVE. Profa. Titular da Clínica Infantil da Universidade Nove de Julho – UNINOVE. Profª. Coordenadora do Centro de Pesquisas da Universidade Metropolitana de Santos – UNIMES. Profª. Titular da Disciplina de Materiais Dentários da Universidade Metropolitana de Santos – UNIMES. Profª. Coordenadora do Curso de Especialização e Aperfeiçoamento em Odontopediatria do Sindicato dos Odontologistas do Estado de São Paulo e ABCD/São Paulo. Profª. Responsável pelo Curso de Aperfeiçoamento em Odontopediatria da FUNDECTO/USP-SP. Autora dos livros: Dentística Odontopediátrica – Técnicas e Uso de Materiais; Manual de Odontohebiatria; Traumatismo Dentoalveolar; Remoção Químico-Mecânica do Tecido Cariado – Uma Abordagem Minimamente Invasiva, todos pela Editora Santos. E é também coordenadora do Projeto Caravana do Sorriso.

Colaboração: Lourdes Augusto

Visitantes Online:

Temos 819 visitantes e Nenhum membro online