Reconhecida como uma especialidade médica, essa técnica chinesa pode ajudá-lo a curar lesões esportivas, diminuir a ansiedade, entre outros males, com sessões indolores e sem contra-indicações Uma técnica milenar de mais de 5 000 anos (3 000 de registros escritos e 2 000 de achados arqueológicos), a acupuntura está cada vez mais presente na saúde dos brasileiros. E também não é para menos. Reconhecida como uma especialidade médica desde 1995 pelo Conselho Federal de Medicina e pela Associação Médica Brasileira, hoje muitos médicos indicam esse tipo de tratamento para várias doenças, inclusive lesões no esporte.

Místico ou não?
Os princípios da acupuntura se baseiam na energia vital chamada “chi”. Os chineses acreditavam que essa força é o equilíbrio entre o lado negativo (yin) e o positivo (yang) – que quando não estão em sintonia podem causar distúrbios físicos e emocionais. Com a introdução de agulhas em pontos específicos, a harmonia é restabelecida e a saúde volta ao normal.

Entretanto, muitos médicos ocidentais afirmam que a aplicação dessa técnica em determinados pontos libera uma substâncias neurotransmissora chamada somatostatina (responsável pela comunicação entre os neurônios),
age sobre a inflamação e a dor de modo benéfico.

O fato é que os resultados são muito palpáveis e essa técnica é oferecida em vários hospitais públicos e privados como por exemplo, o Hospital das Clínicas, em São Paulo.

Dói?
A primeira pergunta que muitas pessoas fazem é se a acupuntura dói. A resposta é: não deve. As agulhas são extremamente finas e o incômodo só pode acontecer se eventualmente o médico acertar um nervo superficial ou um ponto mais sensível da pele. Nesse caso, é preciso avisar o médico que corrigirá na hora seu erro.

Lembre-se: tratamentos dolorosos estão quase sempre relacionados a um mau profissional.

Como funciona?
O médico coloca finíssimas agulhas em determinados pontos do corpo – isso é definido conforme a necessidade de cada paciente –, as quais ativam no cérebro a produção de endorfina (analgésico), de cortisol (antiinflamatório) e de seratonina (antidepressivo). Quando a agulha penetra a pele, ela causa uma microinflamação que produz de forma natural essas substâncias, oferecendo uma melhora nos sintomas e até mesmo a cura de maneira  mais rápida.

Quando procurar um especialista?
Antigamente, muitas pessoas procuravam essa técnica depois de tentar quase tudo da medicina ocidental. Mas isso está mudando. O ideal é consultar um acupunturista assim que os primeiros sintomas aparecerem, lutando contra a doença, logo nos estágios iniciais. Além disso, a acupuntura não tem contra-indicação, principalmente no caso de lesões esportivas. Lembre-se sempre que o sucesso do tratamento está ligado à escolha de um profissional confiável. Procure checar se ele está atrelado a alguma instituição ou associação de referência.

É eficaz em que casos?
Descubra em quais doenças as “agulhas” podem ajudar de acordo com a lista divulgada pela OMS (Organização Mundial da Saúde).
Distúrbios funcionais neurológicos: cefaléia, enxaquecas, nevralgia, paralisias faciais na fase inicial, neuropatias ou alterações sensitivas, doenças de Méniere, vertigem, zumbido por labirintopatia, enurense noturna na infância e incontinência.

Distúrbios funcionais gastrointenstinais e ginecológicos: espasmos no esôfago, soluços, náuseas e vômitos, gastrites agudas e crônicas, diarréia crônica e constipação, colites inesperadas, cólon irritável, tensão pré-menstrual e cólicas menstruais.

Distúrbios respiratórios: rinite, sinusite, faringite, amigdalite agudas e crônicas, sobretudo de natureza alérgica, bronquite e asma.
Perturbações oculares e da boca como conjuntivites, dor de dente e nas gengivas
Atenção, atletas!

Distúrbios musculares, tendinosos, articulares e esqueléticos: síndrome cervicobraquialgias, torcicolo, processos leves de traumas como contusão e entorses, algias do ombro, cotovelo e punho, dores lombares de origem muscular, dores ciáticas, dores coxo femural e do joelho, tornozelo e dos pés, lesões inflamatórias resultado de esforços repetitivos, fibromialgia, dores pós-operatórias e reabilitação pós-imobilização.

Para saber mais
- Associação Brasileira de Acupuntura
www.abapuntura.com.br
- Sociedade Médica Brasileira de Acupuntura
www.smba.org.br

Fonte: Portal Terra

Visitantes Online:

Temos 728 visitantes e Nenhum membro online