A afirmação é do neurologista Walter André dos Santos Moraes, pesquisador do Instituto do sono da UNIFESP, que apresentou o tema, recentemente, no 3° Congresso de medicina do sono, em São Paulo.

"A causa desse emagrecimento deve-se aos processos que o organismo realiza durante o sono, como o metabolismo basal (calorias que o corpo gasta em repouso) e a perda de líquido, entre outros. No entanto, parte dessa perda é recuperada ao longo do dia. Ainda assim, quando somado a uma dieta equilibrada e exercícios físicos, pode-se considerar o sono como um dos aliados da dieta", constata.

O especialista ainda destaca que durante a noite o corpo produz hormônios que facilitam a perda de peso: a leptina, responsável pela sensação de saciedade, o GH, que aumenta a massa magra e a insulina, hormônio que processa a glicose. Ou seja, uma noite mal dormida já é suficiente para acordar com quilos a mais no dia seguinte. Tal confirmação, aliás, é comprovada em estudos internacionais que mostram que repousar uma hora a menos durante longos períodos podem engordar em até 20% do peso. "Estimativas demonstram que as pessoas em todo o mundo têm dormido duas horas a menos por dia. Na mesma proporção, os índices de obesidade crescem de forma alarmante", compara Walter.

Que tal, então, conferir essas dicas para uma boa noite de sono?

-   Opte por um quarto silencioso, confortável, escuro e com temperatura agradável.
-   Procure ter horários regulares para deitar e acordar (sobretudo se você tem dificuldade para dormir).
-   Antes do repouso, evite substâncias estimulantes como cafeinados, nicotina e álcool.
-   Exercícios físicos próximos ao horário de dormir prejudicam o descanso. O ideal é fazê-los de manhã ou início da tarde
-   Para os insones é importante evitar ir para a cama sem sono e ficar esperando por ele. Se a vontade de dormir não surgir, busque ambientes pouco iluminados e faça atividades relaxantes.

 

Fonte: Dieta Já

Visitantes Online:

Temos 714 visitantes e Nenhum membro online