Japoneses e chineses têm uma maneira de comer diferente da nossa. Em vez de talheres, eles usam palitinhos, os hashis.

Thiago Saldiva, chef do restaurante japonês Shimo, em São Paulo, explica que o principal motivo para o uso do hashi é a higiene, pois evita o contato direto com os alimentos.

A cultura culinária oriental foi, de certa maneira, desenvolvida para ser consumida com esses palitinhos. O corte e o preparo dos alimentos são ideais para a utilização do hashi.

- Há um detalhe muito importante para ser levado em consideração: os japoneses veem a faca como uma arma e não como um utensílio usado na hora da refeição.

E não pense que são quaisquer palitinhos, não. Os hashis podem ser feitos de vários materiais: madeira, bambu, marfim, metal ou plástico. O mais comum é o waribashi, aquele descartável de madeira usado nos restaurantes japoneses. Existe um tipo chamado saibashi, feito especialmente para o uso na cozinha, que é mais comprido do que os normais.

Thiago explica que, dentro de um lar japonês, cada membro da família tem seu próprio hashi.

- Em dias de festa, as pessoas costumam utilizar hashis diferentes daqueles do dia a dia. No Ano Novo, por exemplo, usam hashis de madeira lisa, feitos de madeira de chorão-salgueiro.

Como utilizar o hashi

No começo pode ser complicado, mas nada que um pouco de treino não resolva. O primeiro passo é sempre segurar na parte superior para facilitar o movimento. O pauzinho de baixo passa entre o polegar e o indicador e se apoia no dedo anelar. Com os dedos indicador, médio e polegar, segure o pauzinho de cima. É mais ou menos como segurar uma caneta. Para abrir e fechar, movimente o pauzinho de cima utilizando os dedos indicador e médio.

O que não fazer com os hashis

Os japoneses também têm algumas regras de etiqueta para utilizar os palitos. Espetar os hashis na comida, por exemplo, é uma das piores gafes que alguém pode cometer ao degustar um sushi ou sashimi. Além de ser feio, o ato tem um sentido religioso.

- Quando os japoneses oram e acendem incensos nos templos, eles espetam os hashis na vertical, oferecendo o alimento aos mortos.

Outras dicas importantes: nunca chupe a ponta do hashi, cruze os dois pauzinhos nem os deixe separados, e não aponte para ninguém com o hashi.

Da redação com o R7

Foto: Fau Barbosa

Visitantes Online:

Temos 517 visitantes e Nenhum membro online