Investigação contou com levantamentos aéreos. Quatro homens foram presos em Vargem Grande Paulista, Cotia, Santo André e São Mateus. Uma grande quantidade de armas, munições, coletes e explosivos foi apreendida. 

Policiais Civis do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic) prenderam nesta terça-feira(16), quatro suspeitos de participarem do ataque a um carro-forte um dia antes, na Rodovia Bunjiro Nakao, entre Ibiúna e Piedade (leia matéria aqui).

A ação foi desfechada por policiais da 2ª Delegacia Patrimônio (investigações sobre Crimes Patrimoniais de Intervenção Estratégica) e teve a participação do GER (Grupo Especial de Reação) com uso de um carro-forte operacional que equipa a unidade. A quadrilha, envolvida em ataques a carros-fortes e agências bancárias, era monitorada desde 2018 e seria responsável por ao menos cinco outros roubos similares. Quatro homens foram presos nos municípios de Vargem Grande Paulista, Cotia, Santo André e em São Mateus, na zona leste de São Paulo.

A ação do Deic contou até com levantamentos aéreos utilizando drone. O trabalho não só possibilitou as detenções, mas também as apreensões de armas de guerra, munições, e explosivos prontos para serem detonados.  

O grupo teria usado um sítio na região de Ibiúna como base para preparar o ataque. A polícia chegou ao endereço durante a madrugada e aprendeu uma grande quantidade de munição e explosivos, além de acessórios para armas, como uma mira a laser.

As prisões
As informações obtidas a partir do final da semana passada indicavam um possível ataque sendo preparado. Os trabalhos de inteligência e de campo foram intensificados para identificar os integrantes do bando e os locais usados para estruturar a ação criminosa.

Assim que surgiu o aviso da tentativa de roubo em Ibiúna foi traçada a estratégia para agir contra a quadrilha. A equipe da 2ª Patrimônio avançou em três frentes: nas cidades de Vargem Grande Paulista e Cotia, na região Metropolitana de São Paulo, em Santo André, no ABC Paulista, e em Itaquera e São Mateus, bairros na Zona Leste.

As informações permitiram chegar até um sítio no Jardim Japão, em Cotia. Os policiais detiveram o caseiro C.J.R.O., que confirmou a utilização do local como base da quadrilha. A equipe da 2ª Delegacia prosseguiu e deteve um outro indivíduo, N.F.F., que morava nas proximidades e participou diretamente do ataque.

  

 

Os policiais continuaram os levantamentos. A equipe da 2ª Patrimônio chegou até um estacionamento abandonado em Vargem Grande Paulista. Dentro de um ônibus enferrujado encontraram bolsas contendo 28 bisnagas de explosivos, 159 munições – calibre 7,62 e 7,63 -, espoletas de detonação, cordéis de detonação e dois detonadores de acionamento remoto.

A próxima parada foi na Rua Agrimensor Sugaya, na região de Itaquera. Em um imóvel foi detido o indivíduo E.M.M., com duas pistolas 9mm. A ação dos policiais seguiu para o município de Santo Andre, mais precisamente no Parque das Nações. A equipe da 4ª Patrimônio prendeu R.S., o Metralha. Ele era procurado pela Justiça desde 2.014.

A equipe da 2ª Patrimônio ainda fez uma importante apreensão. Os policiais descobriram um arsenal guardando dentro de um Chevrolet Cobalt estacionado nas proximidades onde R.S. foi detido. O material era composto de três fuzis 7.62mm, um rifle .50, 26 carregadores, munições, coletes táticos e coletes balísticos.

 

Também forma localizadas três bombas utilizadas para romper a blindagem de carro-forte. Os artefatos estavam acionados, utilizando detonadores remotos. O material poderia ter explodido caso não tivesse sido neutralizado pelos policiais.

Visitantes Online:

Temos 578 visitantes e Nenhum membro online