A Polícia Civil prendeu três suspeitos de participarem do ataque que matou um policial militar e deixou dois guardas-civis gravemente feridos em Cotia (Grande SP), na última segunda-feira (19).

A prisão foi feita em Peruíbe (litoral de São Paulo) no domingo (25) por policiais da Delegacia de Repressão a Roubo e Furto de Veículos do Deic (Departamento de Investigações sobre Crime Organizado). Segundo a polícia, dois dos três suspeitos são foragidos da Justiça.

Os suspeitos foram localizados durante uma investigação sobre roubo de veículos. Ao cruzar informações dos crimes, a polícia apurou que os autores do atentado seriam traficantes e teriam se refugiado em uma casa no Jardim Veneza, em Peruíbe.

Após monitorar a residência, os policiais cercaram um Kadett com placas de Sorocaba, onde estavam o mecânico A.T.R., 35, o desempregado M.C.S., 28, e o pedreiro E.S.M., 23. Dentro da casa, os policiais encontraram 130 gramas de cocaína, uma balança e R$ 360. Uma agenda com dados sobre a venda de drogas também foi apreendida.

Segundo a polícia, E.S.M. era procurado desde novembro e Santos estava foragido desde janeiro, quando fugiu do Instituto Penal Agrícola de Bauru (a 329 km de São Paulo). Os três foram autuados por tráfico de drogas.

De acordo com o delegado Adalberto Barbosa, titular da Divisão de Investigações sobre Furto e Roubo de Veículos e Cargas, o alvo do atentado em Cotia era a equipe da Guarda Civil.

"Os três revelaram informalmente que agiram em represália às ações desenvolvidas pelos guardas nas comunidades de Cotia. O policial militar não seria o alvo", disse Barbosa por meio de nota.

Do Uol

Fotos: Fau Barbosa

Visitantes Online:

Temos 473 visitantes e Nenhum membro online