Como o Coronavírus afeta os eventos esportivos na Grande SP


Ginásio do Ibirapuera seria palco do UFC 250, mas evento foi cancelado

O esporte na Grande São Paulo está sofrendo as consequências da quarentena. A região concentra o maior número de casos ativos e de mortes por Covid-19 em todo o país, e com a recomendação da Organização Mundial da Saúde de evitar aglomerações, todos os eventos esportivos, de grande ou pequeno porte, estão sendo cancelados.


É o caso do UFC 250, que estava programado para acontecer no dia 9 de maio, no Ginásio do Ibirapuera, na capital. No entanto, além da recomendação de quarentena, o espaço está sendo utilizado como hospital de suporte no atendimento de infectados pelo novo coronavírus, Secretaria de Esportes do Estado de São Paulo confirmou nesta terça-feira que o evento não ocorrerá mais na cidade. O card estava programado com duas disputas de cinturão, entre José Aldo e Henry Cejudo, pelo peso galo masculino, e Amanda Nunes e Felicia Spencer, pelo peso galo feminino, além de outras lutas.


No futebol, o Campeonato Paulista segue paralisado desde o dia 16 de março, o que afeta diretamente os seis clubes da Grande São Paulo que disputam o torneio (São Paulo, Palmeiras, Corinthians, Água Santa, Oeste e Santo André). Ainda não há uma posição da Federação Paulista de Futebol em relação ao que vai acontecer no futuro, uma vez que o calendário do futebol brasileiro deve sofrer alterações drásticas para comportar o restante das competições. Não é descartada a possibilidade de cancelamento do estadual. Ainda faltam duas rodadas para o encerramento da fase de grupos.


Outro grande evento cancelado, desta vez no mundo dos eSports, foi o Campeonato Brasileiro de League of Legends (CBLoL), inicialmente agendado para os dias 21 e 22 de março. Agora, a competição segue em formato apenas online.


Na cultura, o impacto também é enorme. A Virada Cultural, um dos principais eventos anuais da capital, foi adiada para setembro por conta da pandemia. Além disso, museus, bibliotecas, teatros e centros culturais públicos municipais foram fechados pela prefeitura, em decreto emitido pelo prefeito Bruno Covas.


Outros esportes

Corridas de rua foram adiadas ou canceladas em toda a região metropolitana


Não foram apenas os grandes eventos esportivos que acabaram sofrendo alterações. O circuito de corrida de rua da região metropolitana, por exemplo, também foi impactado. Várias corridas, como a WRun, em São Paulo, a Heroes Run e a Corrida do Batom , em Guarulhos, a Corrida Ribeirão Pires, no ABC, a Corrida Kids e Teen da Casa da Criança, em Itaquaquecetuba, a Corrida do Trabalhador, em Taboão de Serra, a Caminhada Somos Tod@s, em Cotia, e a Etapa de Suzano do Ladeiras Trail tiveram suas realizações adiadas ou canceladas.


O poker também sofre os efeitos da quarentena. Embora muitos jogadores continuem faturando alto em competições online, muitos clubes com torneios presenciais, como o H2 Club de São Paulo e o Vintage Poker Club, de Cotia, estão fechados. Grandes torneios, como o Brazilian Series Of Poker, também tiveram de ser suspensos.


De forma geral, todas as prefeituras da região impediram a realização de eventos esportivos e culturais. Em Cotia, por exemplo, tiveram de ser cancelados o Campeonato de Karatê, marcado para 15 de março, e a primeira rodada do Campeonato Municipal de Futebol, que estava marcada para acontecer entre os dias 15 e 29 de março. Também foram cancelados outros eventos culturais como o Aniversário da Cidade (2 de abril), a Festa do Peão (27 de março a 5 de abril), o Cotia Car Fest (22 de março) e a Romaria de Caucaia.


Quarentena prorrogada

Governo e prefeituras seguem com medidas de contenção da população


Nesta segunda-feira, 6 de abril, o governador de São Paulo, João Doria Jr. (PSDB), anunciou a prorrogação da quarentena em todos os 645 municípios do Estado, a princípio, até o dia 22 de abril, embora especialistas acreditem que ela deve ser estendida até um período maior para conter a disseminação do vírus.O Estado responde por 5,6 mil casos dos 14 mil já registrados no país oficialmente, o que representa 40% desse total, com 371 mortes confirmadas.


"A quarentena deve ser seguida por todos os municípios do estado, além da capital de São Paulo, sob o comando do Bruno Covas (PSDB). E deve exercer também com a Polícia Militar o poder de polícia se houver desobediência de qualquer natureza para esta orientação. Nenhuma aglomeração de nenhuma espécie em nenhuma cidade ou área de São Paulo será admitida”, disse o governador de São Paulo.


Apesar das medidas, ainda é possível encontrar muito comércio aberto, sobretudo nas regiões mais periféricas, bem com partidas de futebol de várzea. No último domingo, por exemplo, dezenas de pessoas foram flagradas reunidas na Praça do Pôr do Sol, em Pinheiros, região que concentra boa parte dos casos registrados do novo coronavírus.

‘Se houver desrespeito a esta orientação e continuarmos flagrando pessoas nas ruas, ajuntamento de pessoas de forma absolutamente desnecessária, nós complementaremos com outras medidas e vamos anunciando isso gradualmente, se necessário for”, disse o governador”, completou João Dória Jr.