top of page

Cotia: Abaixo assinado pede a criação do Parque Estadual do Morro Grande


Área de mata atlântica representa um terço do município de Cotia.


Fau Barbosa

Um abaixo assinado vem sendo divulgado nos últimos dias, em grupos de redes sociais. O tema do documento, é a criação do Parque Estadual do Morro Grande, um dos últimos remanescentes da floresta que abriga os reservatórios de água (uma das melhores da Grande São Paulo), que abastecem o Sistema Alto-Cotia.


A petição será enviada ao Ministério Público do Estado de São Paulo e visa garantir a sua proteção.


A Reserva Florestal do Morro Grande, instituída pela Lei 1949, de 4 de abril de 1979, compreendendo as matas ciliares, para destinação de preservação de fauna e flora e proteção aos mananciais. Ela inclui as represas de Cachoeira das Graças e Pedro Beicht, situadas nas bacias inferior e superior do Rio Cotia.


Atualmente uma das ameaças, além de caça esportiva comprovada pela existência de inúmeros jiraus pelas diversas trilhas, é a extração ilegal de palmito e Xaxim, fazendo com que a avifauna como, araçaripoca, sabiá -pimenta, pavó e jacutinga, estejam praticamente extintos do local, que tem sua grandeza justificada pelo fato de ser uma das últimas matas originais do Planalto paulista, além de preservar as águas do Alto Cotia.


A Reserva possui 10.000 hectares de floresta ombrófila densa Montana, com a araucária como sua mais alta árvore.

Em 1981, ela foi tombada pelo CONDEPHAAT (Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico do Estado de SP).


Desde 2017, a Reserva também faz parte da Área de Proteção e Recuperação de Mananciais do Alto Cotia. Tudo isso lhe conferiria "status de proteção", mas...


Garantias para a Reserva

Mas... como a Reserva não é formalmente reconhecida como uma unidade de conservação, ela não possui instrumentos efetivos de gestão, monitoramento e fiscalização do território. Se ela se tornar uma unidade de conservação (um Parque Estadual) será possível a implementação de instrumento de gestão como Plano de Manejo e Conselho.


Atualmente a Reserva do Morro Grande é gerida pela Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (SABESP).


Segundo Thiago Lopes Ferraz Donnini (advogado, pós-graduando em Direito Constitucional da PUC/SP) e Rafael Eichemberger Ummus, (biólogo, consultor e pesquisador), defensores históricos da Reserva e autores do Abaixo Assinado,

“o maciço de vegetação e a riqueza da fauna e flora, extremamente significativos na Região Metropolitana de São Paulo, não são objeto de medidas específicas de gestão, o que torna a Reserva extremamente vulnerável à caça, coleta de produtos florestais, invasões, gestão inadequada de resíduos, turismo predatório e outras perturbações decorrentes”.


É importante fazer parte da campanha popular pela criação do Parque Estadual do Morro Grande.


Acesse o abaixo assinado clicando AQUI.


Com informações do Site da Granja

Imagem: Ana Alcantara

281 visualizações

Commentaires


bottom of page