Cotia: Sambista Clementina de Jesus é homenageada pela programação do “Pontos MIS”


O Departamento de Cultura de Cotia já confirmou que vai renovar a parceria com o programa para continuar trazendo eventos e oficinas gratuitas para a população

A Secretaria de Esportes, Cultura e Lazer de Cotia, por meio do Departamento de Cultura, confirmou que, nos próximos dias, fará a renovação da parceria com o Programa Pontos MIS, que traz uma série de atividades e oficinas gratuitas para pessoas de todas as idades. Desde o início da pandemia do novo coronavírus, o programa tem disponibilizado uma série de eventos virtuais, como o filme documentário "Clementina", que está disponível de 7 a 9 de janeiro no canal oficial do MIS. E, no sábado (9/01), às 18h, acontecerá o “Bate-papo de Cinema Pontos MIS - Clementina” [veja abaixo].

A produção cinematográfica conta a história de Clementina de Jesus, uma das maiores vozes da história do samba e mostra a sua imponente presença na cultura popular brasileira a partir da década de 1960. No bate-papo estarão presentes Ana Rieper (diretora do documentário), Mariana Marinho (produtora), Nega Duda (sambista do Recôncavo Baiano) e Maria da Rosa (vocalista do grupo Samba de Dandara). A mediação será de Giuliana Monteiro (roteirista, diretora e mestre pela Universidade de Nova Iorque).

Serviço

Pontos MIS

Documentário “Clementina”

De 7 a 9 de janeiro

Cadastro gratuito para a sessão em https://bityli.com/rGOms

Bate-papo de Cinema Pontos MIS – Clementina

Dia 9 de janeiro, às 18h

Transmissão em www.youtube.com/user/missaopaulo

Gratuito

Quem foi Clementina?

Clementina de Jesus foi uma sambista fluminense. Era conhecida como Rainha Quelé. Dona de um timbre de voz grave, marcou uma época com um repertório de músicas afro-brasileiras tradicionais.


Até os quinze anos, Clementina participou do grupo de Folia de Reis de seu João Cartolinha, renomado mestre da região. Foi João quem levou a moça para o Bloco As Moreninhas das Campinas Nesse tempo, a voz de Clementina já chamava a atenção e ela foi convidada por Heitor dos Prazeres para ensaiar suas pastoras, o que fez durante muitos anos.

A carreira profissional de Clementina de Jesus como cantora começou aos 63 anos.

No continente africano, participou do encontro das artes negras de Dakar em 1966, ao lado de outros bambas como Martinho da Vila e artistas como Rubem Valentin. Clementina foi o maior sucesso do festival e grande destaque. Ao final do show da cantora as pessoas invadiam o palco para abraçá-la, contou Sérgio Cabral. Também no mesmo ano ela representou a música brasileira no festival de cinema de Cannes, na França.


Ao todo a cantora gravou 13 LPs entre álbuns solos e participações em álbuns coletivos, com destaque para o disco O Canto dos Escravos, composto de vissungos de escravos da região de Diamantina, recolhidos por Aires da Mata Machado. Clementina faleceu vítima de derrame, em 1987, aos oitenta e seis anos. [Fonte: Museu Afro Brasil]

Foto: Hipólito Pereira