Eleitor pode baixar o e-Título e regularizar cadastro sem sair de casa


Ferramenta funciona como documento digital e permite resolver pendências junto à Justiça Eleitoral. Prazo para regularizar e votar em 2022 vai até o dia 4 de maio.


Você conhece o aplicativo e-Título? Disponível para download gratuito em telefones celulares ou tablets de qualquer plataforma (Android e iOS), a ferramenta substitui o título de eleitor em papel e permite que o usuário resolva eventuais pendências junto à Justiça Eleitoral sem precisar sair de casa.


Para estarem aptos a votar nas Eleições de 2022, os cidadãos têm seis meses para regularizar o título e o aplicativo é uma forma muito mais fácil de realizar esse procedimento.


Criado em 2017, o e-Título permite baixar a via digital do título com todas as informações armazenadas de forma segura e possibilita o acesso à situação cadastral, o cadastramento como mesário voluntário e a obtenção das certidões de quitação eleitoral e de crimes eleitorais. Além de contar com um leiaute de simples navegação, o sistema é acessível para pessoas com deficiência visual.


Regularize o título até 4 de maio

No dia 4 de maio, termina o prazo para regularizar o título eleitoral, ou mesmo solicitar a primeira via do documento, em tempo para votar nas Eleições 2022. O procedimento é simples, rápido e pode ser feito pela internet, com o sistema Título Net.


Para evitar contratempos, é importante se antecipar (nos últimos dias, é alta a procura pelo serviço) para quitar eventuais débitos e poder exercer o direito de participar da escolha dos próximos deputados estaduais, deputados federais, governadores, senadores e presidente da República. A votação em primeiro turno ocorrerá no dia 2 de outubro, e o segundo turno, se houver, em 30 de outubro.


Como proceder

Tanto o alistamento (primeira via do título) quanto a regularização podem ser solicitados pelo sistema Título Net, no Portal do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Assista ao vídeo com passo a passo.


Biometria

Devido à pandemia de Covid-19, não houve identificação biométrica do eleitorado nas eleições de 2020. Pelo mesmo motivo, os cartórios eleitorais de todo o país suspenderam o cadastramento de novas biometrias até que a situação se regularizasse.


Caso o eleitor já tenha feito o recadastramento biométrico (com as impressões digitais) junto à Justiça Eleitoral, o perfil no e-Título virá acompanhado de uma foto do eleitor, facilitando, assim, a identificação na hora do voto.


Caso ainda não tenha feito, não aparecerá a imagem, sendo necessário levar outro documento oficial com foto para se apresentar ao mesário no dia das eleições.


Espera-se que quase 100% do eleitorado esteja apto a votar com identificação biométrica até as eleições de 2026.


Veja mais informações neste vídeo e na página do e-Título.


Mais informações sobre biometria podem ser consultadas em:

Biometria – perguntas frequentes


Da Justiça Eleitoral

525 visualizações