top of page

Falsa esteticista é presa em flagrante pela Polícia Civil de Carapicuíba

Ela foi indiciada por homicídio doloso após a morte de uma Guarda Civil Municipal


Fau Barbosa

Uma mulher de 41 anos foi presa em flagrante pela Polícia Civil de Carapicuíba pelo exercício ilegal da medicina e homicídio doloso, após a morte de uma Guarda Civil Municipal. Com a falsa esteticista foram apreendidos vários produtos para procedimentos estéticos.


Morte

No último dia 03 de janeiro, uma GCM de São Paulo, de 44 anos, e moradora de Carapicuíba contratou os serviços de uma mulher que se dizia esteticista. Ela queria fazer um harmonização de glúteos.

Segundo a Polícia, a falsa esteticista realizou uma verdadeira intervenção cirúrgica para o preenchimento dos glúteos da vítima, com a aplicação de determinados ativos desconhecidos.

Apenas duas horas após os procedimentos, a Guarda Civil passou mal e foi internada com embolia pulmonar. Ela passou por diversas cirurgias e após 32 dias de internação, não resistiu e evoluiu a óbito.


A Investigação

A partir dos fatos, a Polícia Civil realizou uma série de diligências no sentido de localizar a falsa esteticista. Isso só foi possível por meio da identificação da escola onde seus filhos estavam matriculados.

Identificado o endereço, no Jd. Maristela, em São Paulo, os policiais encontraram um acanhado salão de beleza. No local foram apreendidas diversas bolsas contendo líquidos oleosos desconhecidos, da mesma natureza daqueles que foram injetados nos glúteos da vítima e que mais tarde causaram complicações que a levaram a óbito.


Foram apreendidos:

  • 08 ampolas de lidocaína com data de validade vencida

  • 10 bolsas contendo substâncias desconhecidas para harmonização de glúteos

  • 10 ampolas de colágeno

  • seringas e produtos diversos para fins de procedimentos estéticos



Polícia apreendeu medicamentos proibidos e com validade vencida


O Delegado Titular do 1º DP de Carapicuíba, Dr. Marcelo José do Prado, falou à reportagem do Portal Viva: "Nem a própria indiciada soube explicar do que se tratavam tais substâncias, as quais são obtidas no Rio de Janeiro. Mais do que isso, foram apreendidos em poder dela outros medicamentos proibidos e com data de validade vencida", destacou. Uma página na internet, que divulgava os "procedimentos estéticos" foi tirada do ar.

Página foi tirada do ar


A mulher foi presa em flagrante por crime contra a saúde pública e devidamente indiciada por crime de homicídio praticado com dolo eventual. "No exercício ilegal da medicina ela assumiu o risco de causar a morte da vítima, na medida em que injetou em seu corpo substâncias das quais sequer conhecia a natureza", ressaltou o Delegado, que representou pela Prisão Preventiva da falsa esteticista.


As investigações prosseguem.

158 visualizações

Comments


bottom of page