top of page

Feminicídio: Indivíduo mata adolescente de 15 anos em Osasco

Rapaz de 25 anos era amigo da vítima e foi preso em flagrante. Com ele foi localizado um revólver .38, uma máscara e uma touca.


Fau Barbosa

Policiais Militares do 14º DP faziam patrulhamento quando por volta das 14h30m dessa segunda-feira, 8, foi irradiado, via Copom, uma ocorrência de “disparo de arma de fogo com vítima feminina” em uma rua do bairro Helena Maria, em Osasco. Segundo a informação, uma adolescente de 15 anos tinha sido atingida pelos disparos.


Ao chegarem ao local, os policiais encontraram marcas de sangue e seis munições sendo um projétil, três cartuchos deflagrados e duas munições intactas. Segundo a Polícia, um vizinho contou que ouviu um barulho semelhante ao estampido de arma de fogo, vindo da esquina e achou que fossem fogos de artifício por conta do campeonato de futebol. Contudo, pela janela de sua casa, ele viu duas adolescentes correndo e pedindo socorro e, logo em seguida, um carro branco passando em alta velocidade. Em seguida ouviu mais dois estampidos. Assustado, o vizinho saiu para a rua e viu o carro branco parado e um indivíduo de máscara e todo de roupa preta, com uma arma de fogo na mão. A adolescente estava sentada na calçada e encostada na grade de uma casa, com sangramento no lado direito da cabeça. Ele ainda viu o indivíduo remuniciando o revólver. O atirador, ao ver o vizinho entrou no carro e saiu em fuga. O vizinho acionou o socorro que rapidamente chegou ao local junto com várias viaturas da Polícia Militar. A adolescente estava inconsciente e respirando com dificuldade. Ela foi socorrida em estado grave pelo helicóptero Águia da Polícia Militar ao Hospital das Clínicas de São Paulo, onde foi submetida à cirurgia, porém não resistiu e por volta das 21h40 veio a óbito.


Prisão do criminoso

Segundo o vizinho, o autor dos disparos seria magro, usava roupas pretas, tinha cabelos escuros e raspado de ambos os lados. Após atirar contra a vítima ele havia fugido do local em um VW/Pólo branco, sentido Avenida Costa e Silva. Os Policiais passaram a fazer diligências quando visualizaram um veículo com as mesmas características trafegando no sentido centro de Osasco, perto do cruzamento com a Rua Irene Pereira Leitão. A fim de impedirem que o condutor do veículo fugisse, os policiais entraram com a viatura na contramão e bloquearam a passagem do veículo. Eles desembarcaram da viatura e deram ordem para que o motorista saísse com as mãos pra cima, o que foi prontamente obedecido.


O indivíduo, um enfermeiro de 25 anos foi identificado e ao ser perguntado onde estava a arma, ele confessou que ela estava no assoalho do veículo. O indivíduo não apresentou nenhuma resistência ao ser detido e confessou ter atentado contra a vida da vítima, com a qual mantinha envolvimento afetivo e amoroso. Na revista pessoal nada de ilícito foi encontrado, porém no interior do veículo os policiais localizaram um revólver calibre .38 com numeração suprimida, contendo seis munições, uma delas deflagrada, Também foi localizada uma máscara do tipo usado pelos personagens da série “La Casa de Papel”, uma touca balaclava preta e um aparelho celular.


O enfermeiro foi conduzido com o veículo e os objetos até o 4º DP de Osasco, onde foi dada ciência à Autoridade Policial, que ratificou a sua Prisão em Flagrante, representando pela Prisão Preventiva. O criminoso disse à Polícia que estava se relacionando afetivamente com a adolescente há cerca de um ano.


Ciúmes

Segundo a Polícia, o pai da vítima contou que sua filha conheceu o indivíduo há cerca de um ano, em uma feira de rua e ficaram amigos. Como a filha fazia curso técnico de enfermagem tinha muita afinidade com o rapaz que já era enfermeiro formado. As famílias se aproximaram e o rapaz frequentava sua casa aos finais de semana, e ajudava a filha com as lições acadêmicas. Contudo, há cerca de seis meses a filha começou a achar estranho o comportamento dele, com algumas reações/crises de ciúmes em relação aos colegas de escola da adolescente. Ela então tentou se afastar um pouco, pois já estava percebendo uma “possessividade” em demasia na relação. Os dois deram “um tempo”, porém o jovem tentava contatá-la por telefone, mas ela não o atendia.


A adolescente já tinha contado aos pais que o enfermeiro havia apertado o seu braço por crises de ciúmes, que ele a esperava no portão da escola na hora da saída e também que ele havia emprestado a ela um aparelho celular no intuito de rastreá-la. A menina, que já estava se sentido perseguida pelo indivíduo, devolveu o aparelho e bloqueou o contato do rapaz no seu celular pessoal.


O caso foi registrado como "Homicídio" (art.121) § 2º - Se o homicídio é cometido: Feminicídio - contra a mulher por razões da condição de sexo feminino. II - por motivo fútil; e "Posse ou porte ilegal de arma de fogo de uso restrito" (Art. 16) - L 10.826/03 - Estatuto do Desarmamento - Nas mesmas penas incorrem quem (Par. único) IV – portar, possuir, adquirir, transportar ou fornecer arma de fogo com numeração, marca ou qualquer outro sinal de identificação raspado, suprimido ou adulterado.


Atendeu a ocorrência a viatura M-14557, com apoio das viaturas M-14000 Cmte 14ºBPM/M; M-14001 Subcmte 14ºBPM/M; M-14002 CFP Sul; M-14419 CFP Norte; M-14556 CGP5; M-14508; M-14519; M-14514; RPM5; M-14401, viatura do 5º Baep e helicóptero Águia 07.

Comments


bottom of page