top of page

Governador Tarcísio inaugura nova alça de acesso em Osasco

Ponte recebeu o nome do Deputado José Camargo. Familiares participaram de homenagem.


O governador de São Paulo, Tarcísio de Freitas, entregou na manhã deste domingo, 19,

a conclusão das obras de construção do viaduto que permite um novo acesso a Osasco a partir da Rodovia Castello Branco.

(Imagem: Fau Barbosa)


O empreendimento amplia a segurança viária na região e reforça a capacidade do Estado em promover desenvolvimento a partir da parceria com a iniciativa privada.

(Imagem: Fau Barbosa)


“Essa ponte vai garantir uma melhora na mobilidade urbana, diminuir o tempo de viagem e dar mais segurança à população", afirmou o governador. "Vamos continuar entregando obras que fazem a diferença na vida da população. O Estado de SP tem aproximadamente R$ 10 bilhões em investimentos só em estradas e o maior programa de concessão rodoviária do país. Isso significa melhorias na mobilidade e na infraestrutura."

(Imagens: Fau Barbosa)

 

Participaram da cerimônia de entrega da obra viária o secretário de Parcerias e Investimentos, Rafael Benini, o diretor-geral da Agência de Transporte do Estado de São Paulo (Artesp), Milton Persoli, parlamentares estaduais e municipais, gestores, representantes da empresa concessionária, entre outras autoridades.

(Imagens: Fau Barbosa)


A obra

A construção do viaduto integrou as ações previstas em contrato de concessão entre o governo paulista e a empresa ViaOeste, que administra o Sistema Castello-Raposo. Ao todo, foram dois anos de obras realizadas pela concessionária e sob a fiscalização da Artesp. O empreendimento mobilizou R$ 232 milhões em investimentos e gerou cerca de 6 mil empregos diretos e indiretos no período.

"Essa obra mostra como o nosso programa de concessões funciona e leva investimentos e mobilidade para as cidades", afirmou Rafael Benini.

(Imagens: Governo de SP)


O novo acesso permite ao motorista sair da Rodovia Castello Branco, na altura do km 15, e acessar a Avenida Fauad Auada, no município de Osasco. A ponte conecta a marginal oeste da rodovia (sentido interior) com o município cruzando as pistas da Castello Branco, o rio Tietê e o Complexo Viário Maria Campos.


Além do viaduto, foram implantadas melhorias na pista expressa oeste da rodovia, com aplicação de nova sinalização e outros elementos de segurança viária, como defensas metálicas e barreiras rígidas.


Ponte Deputado José Camargo

A nova ponte de Osasco recebeu o nome de “Deputado José Camargo”, uma homenagem de autoria do deputado estadual, Gerson Pessoa (Podemos), por meio do Projeto de Lei 1220/2023.

Durante o evento, familiares de José Camargo estiveram presentes e ajudaram a descerrar a placa comemorativa ao lado do governador Tarcísio de Freitas.

Família Camargo participou da homenagem (Fotos: Fau Barbosa)


Em 1973, José Camargo mudou-se para Osasco e foi residir no Centro, ao lado do antigo prédio da Telesp. Ele participou ativamente do movimento de Emancipação da cidade e de várias campanhas políticas no município.


Oriundo do Partido Social Progressista (PSP) e do Partido Trabalhista Nacional (PTN), após a promulgação do Ato Institucional n° 2 pelo presidente da República, General Humberto Castelo Branco, em outubro de 1965, e a consequente instauração do bipartidarismo, foi um dos fundadores do Movimento Democrático Brasileiro (MDB) em São Paulo, partido de oposição ao regime militar instaurado no país em abril de 1964, e pelo qual se elegeu deputado federal em novembro de 1970. Foi reeleito em novembro de 1974.


Em novembro de 1982, já no PDS, reelegeu-se mais uma vez para a Câmara Federal. Foi autor de um projeto de emenda constitucional permitindo a reeleição do presidente da República, dos governadores estaduais e dos prefeitos municipais. A proposta, iniciativa do ministro de Minas e Energia, César Cals, foi uma tentativa frustrada dos setores governistas de resolver a crise sucessória por meio da renovação do mandato do presidente João Figueiredo.


Ao longo deste mandato, apresentou diversos projetos de lei, dentre eles um que estabelecia a livre negociação salarial entre patrões e trabalhadores. Em 1986, José Camargo tornou-se tesoureiro e procurador do PDS. Ainda nesse ano, saiu do PDS e ingressou no Partido da Frente Liberal (PFL).Novamente reeleito deputado federal — desta vez pelo PFL de São Paulo — em novembro de 1986, assumiu sua cadeira na Câmara em fevereiro do ano seguinte, quando se iniciaram os trabalhos da Assembleia Nacional Constituinte (ANC).


Nas eleições de outubro de 1990, foi novamente candidato a deputado federal pelo PFL, porém não conseguiu se eleger. Deixou a Câmara Federal no final da legislatura, em janeiro do ano seguinte. Além de advogado, tornou-se também empresário, tendo adquirido algumas concessões de rádio e TV em Osasco (SP). Foi ainda assessor técnico legislativo e secretário de Justiça de Osasco e procurador do MDB no Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo (TRE-SP) e no Tribunal Superior Eleitoral (TSE).


Casou-se com Maria de Freitas Camargo, com quem teve cinco filhos. É autor do livro "Trabalho sobre direito eleitoral em defesa do povo" (1978; 1982; 1989).


José Camargo faleceu em 14 de janeiro de 2020, aos 91 anos de idade.



Comments


bottom of page