top of page

Governo de SP mobiliza população para combater o Aedes aegypti, transmissor da dengue

Até 24 de novembro, foram confirmados 311.863 mil casos de dengue, distribuídos em 625 municípios, com 276 óbitos


O mosquito transmissor da dengue, chikungunya e Zika está presente em todas as cidades de São Paulo. Por isso o governo do Estado, em conjunto com a Secretaria da Saúde (SES) e parceria com os municípios, promove, até o dia 02 de dezembro, a Semana Estadual de Mobilização Social contra o mosquito Aedes aegypti, com orientações sobre prevenção e controle das doenças, além de ações em casos de sintomas.

“Os criadouros do Aedes aegypti são os locais onde os mosquitos depositam os seus ovos e as larvas se desenvolvem até formarem mosquitos adultos. A eliminação desses criadouros é uma estratégia fundamental no controle da proliferação do Aedes e prevenção das doenças que ele transmite. Alguns exemplos de criadouros são recipientes de água parada, pratos de plantas, calhas entupidas, lixeiras e caixas d’ água mal vedadas, além de piscinas ou fontes sem os devidos cuidados”, explica a coordenadora em saúde da Coordenadoria de Controle de Doenças do Estado de São Paulo, Regiane de Paula.


Os índices de transmissão das arboviroses, que são as doenças causadas por vírus transmitidos por mosquitos, estão associados à adaptação do animal às condições ambientais, especialmente o calor. Indicadores apontam situação de risco em 8 municípios e 79 em alerta.


Até 24 de novembro, foram confirmados 311.863 mil casos de dengue, distribuídos em 625 municípios, com 276 óbitos. Em relação à chikungunya, há 2.153 casos confirmados, em 137 cidades, com 12 mortes. O estado de São Paulo também confirmou quatro casos de Zika vírus em 2023.


A SES realiza permanentemente ações de combate dando apoio aos municípios, que são responsáveis pelo trabalho de campo para a prevenção às doenças causadas pelo mosquito.


Recomendações gerais para eliminação de criadouros do Aedes aegypti:

• Eliminar pratos de plantas ou utilizar um prato justo ao vaso, que não permita acúmulo de água;

• Descartar pneus usados em postos de coleta da Prefeitura;

• Retirar objetos que acumulem água de quintais, como potes e garrafas;

• Verificar possíveis vazamentos em qualquer fonte de água;

• Tampar ralos;

• Manter o vaso sanitário sempre fechado;

• Identificar sinais de umidade em calhas e lajes;

• Verificar a presença de organismos vivos em águas de piscinas ou fontes ornamentais.


A Secretaria da Saúde orienta a população a procurar um serviço de saúde ao apresentar qualquer sinal ou sintoma de dengue, chikungunya ou Zika, como dores no corpo e febre. O diagnóstico e o tratamento para as doenças são oferecidos de forma integral e gratuita por meio do Sistema Único de Saúde (SUS).


Saúde de SP alerta sobre sintomas de doenças transmitidas pelo Aedes aegypti

Apesar da dengue, chikungunya e Zika Vírus compartilharem sintomas semelhantes, cada uma possui sinais específicos que, observados, facilitam o diagnóstico clínico. O tratamento adequado, prescrito e supervisionado por um profissional de saúde, é fundamental para a recuperação do paciente.


“Nos primeiros quatro dias de infecção os sintomas são muito inespecíficos; não é possível diferenciar! Só que a chikungunya dá uma dor intensa nas articulações, com possibilidade de edemas, enquanto a dengue causa uma dor mais generalizada, com incômodos inclusive atrás dos olhos, por exemplo. Já o Zika Vírus costuma causar mais manchas avermelhadas pelo corpo, junto com coceira. Na grande maioria dos casos, a febre está presente independente de qual for o vírus. No caso do Zika, a alteração de temperatura costuma ser mais branda”, explica a assessora em saúde pública do Centro de Vigilância Epidemiológica (CVE), Nathalia Cristina Soares Franceschi.


O período de incubação das arboviroses varia entre três e cinco dias, em média. A identificação precisa da doença em cada caso requer um exame de anticorpos, possível apenas após o sexto dia do início dos primeiros sintomas. Um exame de sangue realizado entre o primeiro e o quinto dia dos sintomas também pode identificar o vírus presente no organismo do paciente.


“É importante que qualquer pessoa que manifeste sintomas como febre, dores no corpo ou manchas avermelhadas após uma picada de mosquito busque assistência médica imediatamente, para prevenir possíveis complicações. A dengue, em situações mais graves, pode levar a hemorragias. É crucial estar atento aos sinais de alerta”, afirma Nathalia Cristina Soares Franceschi.


Caso haja suspeita de uma arbovirose, mesmo que a pessoa não apresente mais sintomas e esteja recuperada, é importante retornar ao atendimento médico após seis dias do início do primeiro sintoma para realizar o exame.


Prevenção contra as arboviroses

A SES realiza permanentemente ações de apoio aos municípios, que são responsáveis pelo trabalho de campo para a prevenção às doenças causadas pelo mosquito. O diagnóstico e o tratamento para as doenças são oferecidos de forma integral e gratuita por meio do Sistema Único de Saúde (SUS).

28 visualizações

Comments


bottom of page