Guarda Ambiental de Cotia devolve coruja-orelhuda à natureza


Ave de rapina tinha sido encaminhada pela Polícia Ambiental ao CETAS de Barueri.

Na tarde dessa terça-feira (15/06), a Guarda Ambiental de Cotia realizou a soltura de uma ave de rapina na Reserva Florestal do Morro Grande. Trata-se de uma coruja-orelhuda que havia sido deixada no Centro de Triagem de Animais Silvestres (CETAS) de Barueri pela Polícia Ambiental. Depois de receber atendimento no local, a ave foi considerada apta para retornar ao seu habitat natural e a Guarda Ambiental de Cotia foi acionada para realizar a devolução do animal à natureza. Para evitar estresse e danos à ave, a soltura aconteceu no pôr do sol.

A coruja-orelhuda é encontrada em todo território brasileiro e possui hábitos noturnos. Realiza sua caça no crepúsculo e alimenta-se de ratos, morcegos, anfíbios, répteis, insetos grandes e aves. É comum encontrar essa ave em áreas urbanas, mas não é preciso capturá-la para reintroduzi-la à mata, uma vez que essa espécie habita os mais diversos meios.


“Manter em cativeiro animal silvestre é crime. O mais importante é saber que o animal silvestre não é animal doméstico. Esses animais têm hábitos totalmente diferentes dos nossos e de outros animais que são domesticados, isso tem que ser respeitado”, alertou o Secretário do Verde e do Meio Ambiente de Cotia, Gustavo Gemente.


Qualquer pessoa que encontrar animais silvestres feridos ou oferecendo riscos, ou ainda sendo comercializados ilegalmente ou sofrendo maus-tratos pode entrar em contato com a Guarda Ambiental pelo número 153 ou pelo canal de denúncias da Secretaria Municipal do Verde e do Meio Ambiente: 0800 878 1100, 4614-4014 ou pelo e-mail smaa@cotia.sp.gov.br.


Fotos: Divulgação

54 visualizações