top of page

Jandira: Mulher é presa em flagrante após agredir e ameaçar vizinha e jogar filho de dois anos da sacada da residência

A criança caiu direto na calçada e foi socorrida por vizinhos


Fau Barbosa

Policiais Militares foram acionados via Copom nesta quinta-feira, 29, por volta das 14h55, a comparecerem no Jd. Gabriela para atendimento de uma ocorrência. Segundo a informação, uma mulher teria surtado e tentado contra a vida do próprio filho de apenas dois anos de idade, jogando-o da sacada da sua casa.


Ao chegarem no local, os policiais souberam que a criança já havia sido socorrida por vizinhos até a UPA de Jandira. A mãe da criança estava sentada no meio da rua. Ao seu lado estava uma bolsa e no seu interior os policiais localizaram uma faca de cozinha com cabo de madeira, um estilete e uma tesoura escolar.


Na tentativa de conversar com ela, eles perceberam que ela estava alterada e com discurso desconexo, falando frases como “Satanás me possua, o que é certo é certo”. Ela foi algemada e não resistiu ser conduzida à UPA de Jandira, onde após ser medicada ficou em observação. Depois de ser liberada, a mulher, de 23 anos foi conduzida à Delegacia de Jandira.


Testemunha

Uma vizinha, que também foi vítima da mulher contou à Polícia como tudo aconteceu. Ela estava em sua casa na companhia do filho pequeno, quando recebeu a visita da mulher e do filho dela de 2 anos. Elas eram vizinhas há 3 meses e passaram a conversar normalmente, enquanto as crianças brincavam na sacada do imóvel, uma casa assobradada de dois andares.

Criança de dois anos foi jogada da sacada de prédio de dois andares


Durante a conversa, a mulher começou a falar do marido e de repente mudou de comportamento. Ela parecia perturbada e passou a ler a Bíblia. Segundo a vizinha, em seguida a mulher se transformou e começou a ficar agressiva, arrancando o chinelo da vizinha, o arremessando pela janela e forçando a vizinha a usar o chinelo dela. Segundo a testemunha, a mulher estava com um comportamento estranho e parecia possuída.


Ameaças

Segundo consta no boletim de ocorrência, após ter seu chinelo jogado na rua, as duas passaram a discutir, até que a mulher pegou uma toalha e tentou enforcar a vizinha dizendo que iria matá-la e a seu filho. Neste momento ela pegou uma faca que estava em cima da mesa e continuou fazendo ameaças de morte. A vizinha conseguiu se desvencilhar dela, pegou seu filho no colo e tentou deixar a casa e foi impedida. Mas logo conseguiu se livrar e saiu da casa indo em direção à escada na tentativa de fugir da mulher. Porém foi alcançada pela mulher que, descontrolada, a empurrou. A vizinha se desequilibrou e escorreu na escada com o filho no colo, conseguindo chegar até a rua. porém foi seguida pela mulher, que foi em sua direção e passou a lhe agredir com socos e chutes, segurando-a pelos cabelos, como se estivesse com um “capeta” no corpo.


Com a chegada de outros vizinhos, a mulher retornou para a casa e ficou na sacada com o filho de 2 anos. Os vizinhos que estavam na rua presenciaram o comportamento estranho dela, a qual continuava fora de controle, falando coisas sem nexo e pisando em cima da cabeça do filho dela, dizendo para a vizinha: “Demônio, capeta, vem que eu vou te matar!” Depois passou a dizer para o filho: “Se você não parar de chorar eu vou te matar” em seguida dizendo “eu te amo”. Em determinado momento ela pegou o filho pelos braços, encostou ele na grade da varanda, levantou o filho deitado e o jogou de uma altura de aproximadamente 10 metros. A criança caiu direto na calçada e ficou bastante ferida e com sangramentos. Os vizinhos se aproximaram e fizeram o socorro da criança, enquanto a Polícia foi acionada. Várias viaturas foram para o local.


Segundo a testemunha, após a criança ser socorrida, a agressora estaria andando pela rua de biquíni. A vizinha esteve no DP de Jandira e sobre a agressão e ameaças declarou que deseja representar criminalmente contra a mulher.


A criança, filho da agressora permaneceu em atendimento médico na UPA de Jandira.


A mulher recebeu voz de prisão em flagrante, permanecendo em silêncio e dizendo que iria se manifestar apenas em juízo na presença de um defensor. Ela foi encaminhada a Cadeia Pública de Barueri onde passaria por audiência de custódia. A Autoridade Policial, Dr. Sergio Augusto de M. Melo requisitou perícia IC para o local, bem como IML para a vítima.


O caso foi registrado como "Lesão corporal (art. 129) - se o crime é praticado contra pessoa menor de 14 (quatorze) ou maior de 60 (sessenta) anos; e Tentativa de Homicídio (art. 121) IX - contra menor de 14 (quatorze) anos II - por motivo fútil.


210 visualizações

Comments


bottom of page