top of page

Novo aplicativo unifica serviços de proteção às mulheres

Disponível nos sistemas Android e iOS, o "SP Mulher" reúne monitoramento de agressores, registro de ocorrências e botão de pânico


Fau Barbosa

Nesta sexta-feira, 6, o Governo de SP lança uma iniciativa inédita para proteger as mulheres com a unificação de serviços às vítimas de violência doméstica e familiar.


O aplicativo SP Mulher reúne as principais funcionalidades para facilitar o registro de ocorrências e o acionamento da Polícia Militar em um único lugar. A plataforma já está disponível para os sistemas iOS e Android.


O aplicativo incorpora o serviço que já era oferecido pelo SOS Mulher, em que vítimas com medidas protetivas podiam acionar o socorro automaticamente. Até então, a mulher vítima de violência precisava preencher todas as informações, inclusive com o número de processo, para ter acesso ao serviço.


Agora, com o novo app, o cadastro é feito a partir do login nacional Gov.br. Automaticamente, a plataforma importa os dados, identifica se a vítima já possui medida protetiva e disponibiliza o botão do pânico para acionamento do socorro em caso de necessidade.


Para o secretário da Segurança Pública, Guilherme Derrite, além do trabalho preventivo das Polícias Militar e Civil, o investimento em tecnologia somará esforços na proteção das mulheres. “A mulher precisa ter acesso de modo rápido e fácil a todos os serviços disponíveis, seja para registrar um boletim de ocorrência ou para pedir socorro. O aplicativo SP Mulher é um exemplo disso, porque reúne todos os principais serviços em um mesmo lugar. Ela tem que saber que a segurança pública está disponível em qualquer lugar e hora para protegê-la”, destacou Derrite.


Monitoramento de agressores

O aplicativo SP Mulher também traz uma função inédita para monitorar os agressores de mulheres por georreferenciamento, o que aumenta a proteção das vítimas contra novas tentativas de violência pelos mesmos suspeitos. 

Em caso de vigilância por tornozeleira eletrônica, o app cruzará os dados da localização da vítima com a movimentação do suspeito. Assim, a mulher poderá autorizar que a Secretaria da Segurança Pública receba as informações do agressor para iniciar o monitoramento.  Em caso de aproximação, o Centro de Operações da Polícia Militar (Copom) envia uma viatura até o local onde a vítima está. 

A PM fará contatos tanto para alertar a vítima como para avisar o agressor da necessidade de se afastar imediatamente do local monitorado. Assim, a mulher será protegida não só em casa ou na área determinada pela Justiça, mas também durante deslocamentos.


Boletim de ocorrência

Outra inovação do app SP Mulher é o registro do boletim de ocorrência no próprio celular. A plataforma permitirá que a mulher faça o documento sem a necessidade de ir até uma DDM. 

O serviço é similar ao já oferecido pela delegacia virtual, mas com a vantagem de elaboração da denúncia no próprio aplicativo SP Mulher. A ocorrência é encaminhada automaticamente para a DDM, que irá validar o boletim e fornecer as informações necessárias à vítima.

26 visualizações

Commentaires


bottom of page