Onda de sequestros na região assusta moradores


Mais um empresário foi rendido quando seguia para uma reunião em Embu das Artes. Bandidos atuam na certeza da impunidade

Por Fau Barbosa

Quinta-feira, 8h20 da manhã. Um empresário sai de casa rumo a uma reunião de trabalho na cidade de Embu das Artes. Não chega na reunião, pois no caminho é sequestrado.


A esposa do empresário, ao acessar a conta conjunta do casal por volta das 14h, estranhamente constatou inúmeras transferências bancárias através de PIX além da realização de empréstimos, sendo um deles no valor de R$50.000,00. Pouco tempo depois, recebeu ligação do gerente de seu banco informando que havia algo errado devido as últimas movimentações na conta.


Sem conseguir contato com o marido, ela telefonou para a empresa onde ele deveria estar em reunião e foi informada que ele não havia comparecido. A esposa então se dirigiu à delegacia de Cotia, e durante o registro do boletim de ocorrência soube que o esposo estava no Km 39 da Rodovia Raposo Tavares, após ter sido libertado por uma quadrilha de sequestradores.


A cena parece de filme, mas infelizmente não é. Outros dois casos semelhantes ocorreram em 24h.

Os bandidos tem abordado pessoas em diferentes horários do dia, principalmente na cidade de Cotia. Elas são feitas reféns e obrigadas a dispor de suas contas correntes em prol da bandidagem. Quadrilhas atuam certas da impunidade, já que muitos desses meliantes foram presos e soltos pela Justiça, horas após a prisão. Até quando?


Os fatos

O empresário, de 45 anos, seguia pela Rua Vereda das Tulipas, em Embu das Artes, quando foi abruptamente abordado por quatro indivíduos armados, que estavam em um veículo Fiat/Pálio azul.


Mediante ameaça de morte, os bandidos anunciaram o sequestro bradando serem "de uma quadrilha especializada na cidade". O empresário foi mantido vendado e com a cabeça encapuzada em um local desconhecido, aparentemente uma casa, onde violenta e incessantemente foram exigidas suas senhas bancárias e de crédito.


Após oito horas da privação de sua liberdade, ele foi libertado no km 39, próximo à Estrada de Caucaia. Lá ele pegou emprestado um celular e ligou para a esposa, que estava na delegacia. Os policiais civis então foram resgatá-lo.


Até o encerramento do boletim de ocorrência, o veículo da vítima não havia sido localizado e não foi possível apurar o valor exato das movimentações bancárias.


A delegada do caso, Dra. Monica Gamboa, considerando a gravidade do caso, deliberou pela instauração de Inquérito Policial para investigação.

590 visualizações