top of page

Polícia Civil de SP possui três museus gratuitos para visitação


Além de reviver a história da corporação e curiosidades sobre as investigações de crimes famosos, também apresentam os malefícios das drogas


A Polícia Civil de São Paulo, além de sempre estar empenhada em proporcionar mais segurança à população, também proporciona atrações para quem está procurando por diversão com conhecimento nestas férias de julho. A corporação possui três museus com entrada gratuita para que os visitantes possam conhecer um pouco mais sobre o trabalho e a história da polícia e, ainda, descobrir curiosidades sobre os crimes mais famosos e antigos no Estado de São Paulo.


Museu da Polícia Civil – Museu do Crime

O primeiro deles é o Museu da Polícia Civil, denominado antigamente como Museu do Crime, o mais antigo da corporação, que fará 100 anos em 2024. O espaço fica localizado no 1º andar do prédio da Academia de Polícia – Acadepol, na Cidade Universitária da Universidade de São Paulo, no Butantã, zona oeste de São Paulo.


O museu surgiu a partir da criação da primeira Escola de Polícia, em 1924, quando objetos e instrumentos apreendidos eram utilizados para ilustrar as aulas ministradas na escola. Em 1952, o acervo foi aberto à visitação pública, com o objetivo de preservar a história da Instituição e aproximar os visitantes do mundo e dos valores policiais.

O local possui um grande acervo, com histórias que ganharam fama em território nacional. São diversos itens apreendidos que estão disponíveis para visitação, alguns deles até curiosos, como armas brancas feitas com miolo de pão. Lá, também é possível ver objetos históricos, como as primeiras máquinas de jogos de azar, e a simulação de cenas de crimes.


A exposição das viaturas policiais antigas usadas pela corporação também chama a atenção do público, que ainda pode ver a história da Polícia Civil reproduzida por meio de fotografias e de instrumentos ligados à atividade policial.


Durante a experiência, as pessoas têm a oportunidade de assistir a filmes e documentários policiais, conhecer os tipos e significados de tatuagens do meio prisional, ver testes de vidros blindados com tipos de armas diferentes e a história das primeiras mulheres em cargos policiais.


Museu das Drogas do DENARC

Os outros dois, o Museu Delegado de Polícia Nestor Penteado, conhecido como Museu das Drogas do DENARC, e a Base Móvel de Ensino ficam localizados na sede do Departamento Estadual de Prevenção e Repressão ao Narcotráfico – DENARC, no Bom Retiro, região central da capital paulista.


O acervo do combate ao mundo das drogas e do narcotráfico permite às pessoas verem de perto o prejuízo que o prejuízo que as drogas legais e ilegais trazem para toda a população.

“A repressão se inicia na prevenção já para diminuir a demanda de consumo, para não ter esse boom’ de comercialização de droga. A pessoa tendo o conhecimento sobre os malefícios ajuda a não ter vontade de consumir, o que já diminui o comércio”, diz o doutor Raul Machado TIltscher, Delegado Divisionário de Polícia da Divisão de Prevenção e Educação- DIPE/DENARC.

Lá, ainda há itens inusitados disponíveis para visitação. Um deles é uma bota apreendida, em 1982, de um dos integrantes de um grupo de basquete dos EUA que estava vindo ao Brasil em uma competição. O outro é o porta-drogas de uma estrela do rock nacional apreendido 1976.


Além disso, carros de polícia antigos e outros atuais apreendidos durante o esclarecimento de algum crime de tráfico, também estão expostos.


A visita ao museu é acompanhada por monitores, que são policiais altamente qualificados sobre o assunto e aptos para ensinar e para tirar dúvidas.


Museu Itinerante

O museu itinerante é uma base móvel de educação, onde estão expostos os vários tipos de drogas e explicações sobre como elas agem no organismo. O objetivo é despertar a atenção dos pais, além de conscientizar crianças e adolescentes.

O Dr. Raul alerta que “muitos pais às vezes veem um simples objeto com seus filhos e não têm ideia do que se trata, que também são usados para utilização de drogas”.

A Base Móvel pode ser solicitada por empresas, escolas, faculdades e também por associações de bairros para levar mais conhecimento a todos.


Divisão de Prevenção e Educação – DIPE

A Divisão de Prevenção e Educação – DIPE tem como atribuição básica manter o relacionamento com o público externo visando desenvolver programas de prevenção à disseminação do uso indevido, da produção não autorizada e do tráfico ilícito de drogas.


A DIPE possui atendimento psicológico gratuito a familiares e usuários de entorpecentes. Caso seja algo mais grave e que precise de mais amparo, é encaminhado para comunidades terapêuticas parceiras.


Serviço:

Museu da Polícia Civil (Do Crime) Endereço: O Museu localiza-se no 1º andar do prédio da Academia de Polícia – Acadepol Praça Professor Reynaldo Porchat, 219 – Cidade Universitária – Butantã – São Paulo

Horário de funcionamento: De terça a sexta-feira – das 13h às 18h, exceto feriados (sem agendamento) Sábado – (Somente 1 sábado no mês) – das 10h às 13h – INFORME-SE antes Domingo e segunda-feira: fechado

Grupos: agendamento necessário para visitas monitoradas

Telefone: (011) 3468-3360

E-mail: museu.acadepol@policiacivil.sp.gov.br

Entrada gratuita


Museu das Drogas do DENARC Endereço: Rua Rodolfo Miranda, 636, Bom Retiro – São Paulo

Horário de funcionamento: De segunda a sexta, exceto feriados – das 10h às 17h

Agendamento por telefone / whatsapp: (011) 3815-8761 Ou e-mail: dipe.denarc@policia.civil.sp.gov.br

Entrada gratuita

73 visualizações

Comments


bottom of page