top of page

Polícia prende homem que sequestrou e estuprou menina de 11 anos


Ele havia saído de casa de bicicleta e levado a criança para um local de mata fechada, onde consumou o crime


Fau Barbosa

Nesta quarta-feira, 20, a Polícia localizou e prendeu o indivíduo que havia sequestrado a filha da companheira, de apenas 11 anos. O sequestro aconteceu em Jandira.

A menina foi salva três dias depois, por um motorista que reconheceu o indivíduo e a criança após se deparar com a bicicleta em que estavam, na Rod. Eng. Rene Benedito da Silva.

Segundo a Polícia Civil, ela teria ficado amarrada em uma barraca no meio da mata na divisa de São Roque e Itapevi, onde foi estuprada.

Para os policiais, o indivíduo, que tem várias passagens pela Polícia, é uma pessoa com graves problemas que coloca em risco toda a sociedade.

O delegado do DP de Jandira, Dr. Sergio Augusto de Melo pediu a sua Prisão Preventiva.


O desaparecimento

No dia 17, a mãe da criança procurou a Delegacia de Jandira informando que no dia anterior, por volta das 11h, seu companheiro havia deixado sua residência acompanhado de sua filha de 11 anos, e há mais de 24hs não teriam retornado.

Segundo a mãe, ele trajava uma blusa de time preta e vermelha e saiu conduzindo uma bicicleta branca com um cesto preto e um banco comprido vermelho. A menina estava na garupa da bicicleta e levava uma mochila nas costas. Achando estranha aquela movimentação a mãe perguntou à menina o porquê daquela mochila e a criança respondeu que era para lhe fazer uma surpresa. O indivíduo tinha colocado uma lona azul dobrada no cesto dianteiro da bicicleta e disse à mulher que estava indo buscar um bolo feito por sua irmã.


Investigação

De posse das informações, os policiais iniciaram as buscas e durante a investigação descobriram que o indivíduo era frequentador assíduo do Bom Prato de Jandira. Lá foram informados que ele havia estado ali na hora do almoço da sexta-feira, dia 15, e na ocasião, teria mostrado às pessoas ali presentes a quantia de R$ 3.000,00 (três mil reais), o que levou a Polícia a crer que o sequestro havia sido premeditado, já que ele levou consigo uma lona - que depois apurou-se ser uma barraca de camping - e tinha bastante dinheiro em seu poder no dia anterior aos fatos.

Durante o trabalho de investigação, os policiais apuraram que o suspeito tinha extensa ficha criminal e era pessoa de altíssima periculosidade, com passagens por crimes de estupro e homicídios contra crianças, além de ser usuário de drogas pesadas. Ele teria sido visto no local nas manhãs dos dias 16, 17 e 18, em uma biqueira em Carapicuíba, porém estaria sozinho.


O resgate da criança

Por volta das 8h da manhã da terça-feira, 19, um homem que se dirigia ao trabalho em Santana de Parnaíba, avistou um indivíduo em uma bicicleta branca, com uma garotinha em sua garupa na altura do nº 316 da Rod. Eng. Rene Benedito da Silva. Imediatamente ele se lembrou do caso transmitido pela TV no dia anterior sobre o sequestro da garota em Jandira, e decidiu abordar aquele homem, o reconhecendo como o autor do sequestro.

Às 11h22 do sábado, 16, imagens de monitoramento mostram o indivíduo e a criança em sua garupa na Rod. Renê Benedito Silva, sentido São Roque


Nesse momento, a criança pulou da garupa da bicicleta pedindo ajuda para o motorista, que tentou segurar o indivíduo, porém ele virou a bicicleta e fugiu sentido Itapevi.

Imagem da terça-feira, 19, às 07h27, quando o indivíduo segue para São Roque, antes de ser abordado pelo motorista que salvou a criança.


A Polícia Civil foi informada que a criança tinha sido encontrada em São Roque e encaminhada à Santa Casa da cidade. Os Policiais imediatamente se dirigiram até lá, onde foram informados pela enfermeira chefe que a menina estava muito assustada, sendo assistida pelo Conselho Tutelar e pela ginecologista de plantão que confirmou o estupro da criança. A menina já havia contado para a policial feminina que a acompanhava que tinha sido estuprada e estaria com o criminoso acampada em uma mata na região.


Cerco policial

Considerando que o indivíduo retornaria para Carapicuíba, já que era procurado em São Roque e Jandira, por volta das 15h desta quarta-feira, durante diligências em Carapicuíba, os policiais souberam que ele tinha sido reconhecido por populares que o agrediram com pauladas e chutes. Durante a fuga, ele havia deixado para trás uma bicicleta e uma camiseta, que a mãe da menina prontamente reconheceu.


Foi solicitado apoio de outras unidades da Polícia Civil da Seccional de Carapicuíba, incluindo o SAT - Serviço Aerotático da Polícia Civil, sendo também compartilhadas as informações e a foto do indivíduo com a Polícia Militar e a GCM de Carapicuíba, a fim de formarem um cerco no raio de 5km do último local onde o suspeito tinha sido visto.


A operação contou com mais de cento e cinquenta policiais e durou toda a noite, fazendo com que o suspeito se sentisse acuado e buscasse abrigo.


A prisão

Por voltas das 3h da madrugada desta quarta-feira, 20, a Polícia Militar recebeu uma denúncia através do 190 informando que o indivíduo poderia ser encontrado em um Motel em Carapicuíba. Policiais do BAEP o localizaram ali, escondido, e após dar voz de prisão, o levaram para o 1º DP de Carapicuíba, onde os policiais de Jandira o transferiram para a Delegacia da cidade. Lá ele confessou o crime e disse que resolveu sequestrar a menina para se vingar da mãe dela, que o havia agredido na noite anterior.


Segundo a Polícia Civil, o indivíduo confessou que esteve envolvido em outros dois casos de violência sexual. O primeiro aconteceu em 1999, quando ele tinha 16 anos, e junto com um amigo estuprou e matou duas garotinhas, 06 e 09 anos na região de São Roque. O segundo em 2005, quando estuprou por 12 horas seguidas uma amiga, a qual o acompanhou para uma falsa entrevista de trabalho.


O delegado de Jandira, Dr. Sergio de Melo, falou sobre o caso à reportagem do Portal Viva: "O indivíduo deixou claro que é um psicopata, um maníaco, e em nenhum momento demonstrou arrependimento ou vergonha pelo que fez", relatou. "Com anos de experiência em crimes, nunca vimos tamanha frieza e desprezo para com o próximo, e pior, para com uma criança. Esse elemento não tem a menor condição de viver em sociedade", ressaltou o delegado.


O local do crime

Após a confissão, os policiais foram com o suspeito na região de Itapevi, divisa com São Roque onde localizaram o acampamento, verificando que o local escolhido foi ao lado de uma antiga e desativada linha de trem, local de mata fechada e extremamente ermo.

Barraca usada pelo indivíduo foi armada em um local ermo e de difícil acesso e de mata fechada.


Em uma vala, bem abaixo do nível da linha férrea, estava a barraca, no meio do mato, cercada de galhos em um local de difícil acesso. Ao lado dela, vários papéis higiênicos usados, fezes no chão, embalagens de doces e refrigerantes.

"Uma cena grotesca, difícil de descrever. Nesse local a garota permaneceu amarrada, amordaçada, sendo violentada por três longos dias e noites. A impressão que tivemos é que ali seria o seu túmulo, com toda a certeza", enfatizou o delegado.


Segundo ele, a menina estava muito próximo de ser executada, e naquele local, dificilmente seu corpo seria encontrado.

No sábado, 16, a câmera da GCM flagrou o indivíduo e a criança entrando na rua de terra que da acesso à linha de trem desativada onde foi armada a barraca.


Saindo do local do crime, os policiais verificaram que bem ao lado da estrada de terra que leva à linha de trem desativada, há uma câmera Dome de monitoramento da GCM de Itapevi.


As imagens obtidas no Centro de Monitoramento da GCM comprovaram o ingresso e saída do indivíduo no local com a vítima.


248 visualizações

Comentarios


bottom of page