top of page

Policial Militar de Força Tática é baleado por Policiais Civis após suspeitar de blitz


Como não havia viatura no local, PM achou que pudesse ser um roubo.


Fau Barbosa

Na madrugada de domingo, 30, por volta de 2h10, um Policial Militar da Rocam da Força Tática do 14°BPMM, acabou sendo baleado em uma operação bloqueio no Jd. Helena Maria, em Osasco. A ocorrência aconteceu em frente ao 10º DP de Osasco, o qual estava fechado.


Policiais Militares estavam em patrulhamento na Av. João Ventura dos Santos, quando avistaram dois indivíduos, aparentando estarem abordando um homem que estava deitado ao solo. Quando pararam para verificar o que estava ocorrendo, constataram que o indivíduo que estava no chão era um policial militar da 5ª Cia. do 14 BPMM. Os outros dois se identificaram como Policiais Civis e estavam usando distintivos da Polícia Civil. Nesse momento os militares constataram que o PM havia sido baleado no braço direito. Foi feito uso de torniquete e os policiais socorreram o colega até o Hospital Regional de Osasco.


Os fatos

No hospital, o PM relatou que vinha em alta velocidade em sua moto, por conta do risco de roubo, já que próximo dali existe um estabelecimento que costuma atrair criminosos. Nesse momento ele percebeu que dois indivíduos apareceram na sua frente e não soube distinguir quem eram. Como não havia nenhum tipo de sinalização para a blitz, como viatura caracterizada, com apenas alguns cones próximo ao meio fio da via, o policial imaginou que poderia se tratar de um roubo à sua motocicleta.


Ele então largou a moto e procurou um abrigo para poder ver a situação que estava acontecendo e tomar alguma atitude. Foi quando escutou os disparos e verificou que tinha sido atingido no braço direito. Nesse momento, ele viu que se tratava de dois Policiais Civis e se identificou como Policial Militar. Os Policiais Civis tentaram de alguma maneira socorrer o policial, quando apareceu uma viatura da PM que percebeu que se tratava de dois Policiais Civis e um Policial Militar que havia sido baleado e estava perdendo uma quantidade significativa de sangue.

Um dos Policiais Militares realizou o primeiro atendimento, utilizando o Torniquete Tático e ao notar que havia parado o sangramento a equipe socorreu o policial ao Hospital Regional de Osasco, onde permaneceu sob atendimento médico sem risco morte. O médico informou que o projétil havia transfixado o braço do policial, com fratura no antebraço, e seria necessário passar por intervenção cirúrgica.

A equipe então se deslocou até o 5º DP de Osasco para apresentação da ocorrência, sendo acionada a perícia. No local foram coletadas quatro cápsulas deflagradas de calibre 9mm.


Os Policiais Civis prestaram depoimento, dizendo que agiram em legitima defesa própria e de terceiro, já que ambos estavam em serviço e teriam atirado porque a vitima, a qual não se identificou como Policial Militar, ao invés de obedecer à ordem de parada, prosseguiu de arma em punho e acabou sendo alvejada.


Diante dos fatos, a Autoridade Policial determinou o registro do boletim de ocorrência de natureza "Disparo de arma de fogo (Art. 15 - L 10.826/03 - Estatuto do Desarmamento) Lesão corporal (art. 129); Lesão corporal decorrente de intervenção policial: Excludentes de Ilicitude - CPB - Legítima defesa (art. 23, II). No local foram localizadas câmeras de monitoramento que podem ter registrado a ação dos policiais.


Atendeu a ocorrência a viatura da Polícia Militar M-14530, com apoio do CFP; CGP V; M-14555; M-14511; além de viaturas da 4º Cia e da 5ª Cia do 20° M.






154 visualizações

Comments


bottom of page