Vargem Grande Paulista anuncia medidas mais restritivas


Prefeito informou que a situação é difícil e que a fiscalização será intensificada.

As novas medidas restritivas às atividades econômicas anunciadas pelo Governo do Estado, também serão seguidas em Vargem Grande Paulista entre os dias 15 e 30 de março. Durante uma transmissão ao vivo em sua rede social, o prefeito Josué Ramos informou que a situação é difícil e que a fiscalização será intensificada.

A live foi realizada diretamente do Pronto Atendimento (PA) Central, onde também estavam presentes o vice-prefeito Capitão Evandro e o secretário municipal de Saúde Caio Dolfini. "Vivemos o pior momento da pandemia, em que a falta de vagas e a demanda vão piorar. Precisamos que todos façam sua parte, que a população tenha um comportamento mais consciente mantendo o distanciamento social, usando máscara e pensando no coletivo", pediu Josué.

Vargem Grande Paulista segue o Plano São Paulo que impôs a fase emergencial, em que apenas serviços essenciais de saúde, alimentação e transporte podem funcionar. Com as novas medidas, algumas atividades até então consideradas essenciais, como lojas de materiais de construção, agora seguem fechadas podendo apenas atender por meio de delivery ou drive thru.

Das 20h às 5h também foi imposto o toque de recolher, para tirar as pessoas das ruas. "Montamos uma comissão de fiscalização com representantes da Vigilância Sanitária e Epidemiológica, Departamento de Fiscalização, Guarda Municipal e Polícia Militar. O objetivo é uma ação conjunta entre essas áreas e mais rigor na fiscalização", destacou o prefeito.

Segundo o Secretário de Saúde, o PA está estruturado para atender a demanda com mais leitos, equipamentos e profissionais. "Faço um apelo, que as pessoas procurem nosso Pronto Atendimento somente se for necessário e extrema urgência. Nossa demanda aumentou em mais de 70% e o número de remoções em mais de 150%", disse Caio.

Para evitar que os pacientes procurem o PA sem extrema necessidade, a Secretaria de Saúde está intensificando serviço de telemedicina. "Vamos reduzir ao máximo as consultas presenciais e substituí-las, neste momento, pela telemedicina. Nossos médicos e demais profissionais das Unidades Básicas de Saúde estão entrando em contato com os pacientes e dando todo o auxílio necessário".