Cotia: Polícia Ambiental detém 28 pessoas em rinha de galo

Atualizado: Jun 16


No local foram encontrados dois galos mortos

Neste sábado (6), por volta das 16h, 28 pessoas foram presas em um sítio na Estrada dos Hengles, zona rural de Cotia. Policiais Militares chegaram ao sítio após uma denúncia anônima informando que no local estaria ocorrendo uma "rinha de galo".


Por conta da denúncia e acreditando haverem ali muitas pessoas, foi solicitado o apoio do 5º Baep da PM. Ao chegarem ao local informado, os policiais se depararam com um sítio aberto ao público e ali entraram. No local haviam dois "ringues" improvisados, e em um deles, acontecia a briga de dois galos. Em volta do dito "ringue" haviam várias indivíduos, em tese, apostando na luta e divertindo-se com tal acontecimento. Os dois animais que disputavam a luta já estavam muito machucados.


Os homens que ali estavam foram separados e abordados. Os policiais verificaram que no

local, em gaiolas improvisadas, haviam outros 33 galos da raça "Índio Brasileiro", além de outros dois animais já mortos. Também foram encontradas 11 bicos de metal; 09 panos, tipo viseira para galo; 93 esporas plásticas pontiagudas, utilizadas para armar os animais durante a briga, além de outras 12 de couro utilizadas para o treino dos animais.


O dono do sítio foi identificado e os demais detidos alegaram que estavam ali apenas para observar a luta, nenhum deles admitindo a posse ou propriedade de quaisquer dos animais encontrados. A autoridade policial do DP de Cotia foi informada dos fatos, sendo o sítio isolado para realização de perícia. Os animais foram encaminhados ao abrigo Salatino, no bairro Vale do Sol, em Embu das Artes/SP, que concordou em receber os animais a título precário e urgente, por tratar-se de um sábado à noite. Porém, este não poderá abrigar os animais por longo período, devendo o município providenciar um local específico, com pessoal e recursos para receber os animais em situação de vulnerabilidade.


Os 28 infratores foram conduzidos ao DP de Cotia, onde assinaram um TC - Termo Circunstanciado, de natureza "Praticar ato de abuso a animais (Art. 32)", permanecendo à disposição da Justiça.

 

Lembrando que a rinha de galo é crime ambiental e os responsáveis respondem por maus-tratos.