top of page

Guardas Civis de Cotia se reúnem e decidem fazer manifestação na Câmara e na Prefeitura

Agentes estariam desmotivados devido ao não cumprimento das mudanças prometidas pela Prefeitura após a tragédia ocorrida em 7 de fevereiro


Fau Barbosa

Na manhã desta segunda-feira, 8, Guardas Civis de Cotia realizaram uma Assembleia da Asguaco - Associação de Guardas Civis de Cotia, onde decidiram por realizar dois movimentos importantes.


O primeiro deles é chamar a atenção da administração e mostrar o descontentamento da classe com relação às poucas mudanças efetivas ocorridas depois da fatalidade ocorrida na corporação no último dia 07 de fevereiro, ou seja, dois meses atrás. O segundo é fazer os reclames judiciais para regularizar a questão da transparência e direitos negligenciados.


O Portal Viva teve acesso à ata da reunião, que pontua que a tragédia não foi suficiente para despertar mudanças relevantes na instituição. Com isso, os guardas estariam chateados, cansados e desmotivados.

Documentos protocolados

Segundo um documento assinado pelo presidente da Asguaco, GC Valdinei, desde o dia da tragédia, não foi convocada nenhuma revista geral, e os guardas desconhecem que algum projeto tenha sido encaminhado à Câmara de Vereadores, o que consideram "desleixo" com a tropa. "Espera-se o DIÁLOGO acompanhando de AÇÕES EFETIVAS. Acrreditamos em Vossa Excelência e esperamos um atendimento FRANCO e que veicule as mudanças gestadas e que serão implementadas", diz o documento.


Um outro documento foi protocolado ao presidente da Câmara, citando que apesar de trocados os secretários de segurança, pouco mudou no trato de trabalho, inclusive o cargo de subcomandantes da área 1 e 2 continua vago. O documento diz que há uma revolta coletiva e "teme-se por novas tragédias". Segundo os guardas, nem a equipe de psicólogos prometida foi disponibilizada nas inspetorias.


Ainda de acordo com o documento, um inspetor que está para se aposentar teve um surto há poucos dias e teve que ser acudido pelos colegas.


Manifestações

Diante do descontentamento, duas manifestações estão previstas para os próximos dias em Cotia. A primeira será na Câmara Municipal nesta terça-feira, 9, às 10h. Os Guardas, desarmados e de preto em sinal de luto, estarão no plenário da Câmara para clamar por melhorias na instituição. De lá eles devem descer a pé até a Praça Joaquim Nunes, para que os comerciantes saibam o que está ocorrendo.


Já na quarta-feira, 10, a manifestação acontece às 10h, no Paço Municipal, em frente à Prefeitura. "Ali vamos pedir que o prefeito nos atenda porque só foi promessa e ele não nos atendeu em nenhum momento. A Guarda Civil está abandonada. Não mudou nada!", disse o GC Valdinei à reportagem do Portal Viva.





Comments


bottom of page