Polícia Ambiental flagra desmatamento e crime ambiental em Cotia


Seis pessoas foram detidas e encaminhadas à Delegacia de Meio Ambiente de Barueri.

Por volta das 08h15 desta quinta-feira(17), após receberem denúncia de desmatamento e parcelamento irregular de solo, Policiais Militares do 3º Pelotão Ambiental de Cotia, se dirigiram até as proximidades da Av. João Paulo Ablas e Estrada Sete de Setembro.


Ao chegarem ao local, uma área de aproximadamente 600.000 metros quadrados na Estrada do Dae, flagraram seis indivíduos. Essas pessoas, disseram que eram donos de lotes, os quais suprimiram a vegetação para construção de suas moradias. Eles alegaram ter adquirido os lotes de uma Cooperativa Habitacional. Segundo a polícia, o local já foi alvo de várias fiscalizações anteriores.

Percorrendo a área, os policiais constataram novas degradações e descumprimento de embargo. Em vistoria na área, verificaram a abertura recente de ruas, comprovando o desmatamento que vem ocorrendo de forma acelerada.

Durante vistoria na área não foi constatado a existência de máquina, que possível estaria sendo usada para o desmatamento.

Os indivíduos foram conduzidos à Delegacia de Meio Ambiente de Barueri, onde o delegado Dr. Pedro Forli ficou ciente dos fatos e determinou o registro do boletim de ocorrência de natureza "Meio Ambiente - Destruir ou danificar floresta (Art. 38, caput); Desobediência (art. 330); L 6766/79 - Parcelamento do solo urbano e Crime contra a Administração Pública (Art. 50).


Foi solicitada perícia para o local e aplicadas as multas ambientais.


Atenderam a ocorrência as viaturas da Polícia Ambiental A-01218 e A-01226 com apoio da Polícia Militar.


Várias denúncias

Moradores da região tem denunciado as constantes queimadas em um corredor de mata protegida que vai desde o Rodoanel Mario Covas na região de Cotia, até a Rodovia Régis Bittencourt, já no município de Embu. Essa mata passa por trás do Residencial Gramado e segue pelo Jardim do Engenho. "O barulho de motosserras pode ser ouvido de longe", diz uma pessoa que preferiu não se identificar. Segundo ela, as queimadas também tem acontecido na madrugada.


Na noite do último dia 8 de outubro, essa agressão ambiental fez mais uma vítima.

Uma moradora que passava pela região do Gramado, socorreu por volta das 22h um pequeno cervo. Ele havia sido atropelado e estava bastante machucado. Foi socorrido e levado à uma clínica veterinária na Granja Viana, porém não resistiu aos ferimentos.

Ele não é o primeiro animal silvestre a ser resgatado na região, fugindo das queimadas. Recentemente um bicho preguiça também foi resgatado e precisou de cuidados, entre tantos outros animais silvestres que fogem de queimadas na região.