Uso emergencial: Fiocruz pede autorização para a vacina de Oxford à Anvisa


Vacina contra a Covid-19 é desenvolvida pelo laboratório AstraZeneca e pela Universidade de Oxford. As doses devem ser importadas do laboratório Serum, sediado na Índia.

A Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz), solicitou à Anvisa ((Agência Nacional de Vigilância Sanitária) nesta sexta-feira(8), a autorização para uso emergencial de 2 milhões de doses prontas da vacina de Oxford/AstraZeneca. As doses serão importadas da Índia.


Assim como no caso da Coronavac, cuja autorização de uso emergencial foi pedida hoje pelo Instituto Butantan, a Anvisa estima que a análise deve levar até 10 dias.


Nesta quinta-feira(7), representantes da Fiocruz, da Anvisa e da farmacêutica AstraZeneca estiveram reunidos para discutir a documentação e as informações sobre o processo de produção da vacina pelo Instituto Serum, na Índia.


Os primeiros insumos do IFA (Ingrediente Farmacêutico Ativo) da vacina de Oxford devem chegar ao Brasil na próxima semana. A previsão da carga que vem da China é de que chegue até o próximo dia 12 de janeiro. Com isso, a Fiocruz prevê que a produção da vacina AstraZeneca/Oxford no Brasil comece no dia 20 deste mês.