top of page

Santana de Parnaíba: Homem é preso pela GCM depois de agredir a companheira e atear fogo na casa

Vítima já tinha sido agredida outras vezes. Caso foi registrado como tentativa de feminicídio.


Fau Barbosa

Por volta de 19h30 da segunda-feira, 12, Guardas Civis faziam patrulhamento de rotina quando foram acionados, via rádio, para apoiar uma ocorrência de violência doméstica. Segundo a informação, o autor teria ateado fogo na residência, em Santana de Parnaíba.


Ao chegarem ao local, no bairro Cento e Vinte, o incêndio já estava controlado. Em contato com a vítima, uma mulher de 36 anos, ela disse que foi agredida “sem motivo” porque demorou a entregar o aparelho celular para seu companheiro. Em seguida ele teria colocado fogo na casa.


O indivíduo, de 31 anos disse à equipe que estava saindo da residência para comprar um celular para a companheira, quando ela começou a brigar com ele dizendo que estava saindo para traí-la e que então ela “foi para cima” (sic) dele e que ele apenas a conteve. Sobre o incêndio, ele negou ser o autor e não soube dizer quem teria sido o responsável.


Após ouvir os relatos, os guardas conduziram o casal até a DDM de Barueri.


Agressões

A mulher contou à Polícia que tinha um relacionamento com o indivíduo há cinco meses e que, desde então, residiam juntos. Ela teria sido agredida no dia anterior, no entanto, não registrou ocorrência, mas terminou o relacionamento devido às agressões. O homem chegou a arrumar seus pertences pessoais para ir embora, porém até o período da tarde não havia saído do local.


Foi quando ele pediu o celular da vítima para ligar para um amigo. O indivíduo ficou conversando no celular por um tempo e, assim que ela pediu o aparelho de volta, ele se recusou a devolver. Então pegou uma faca e já começou a agredir a vítima, dando primeiro um soco em seu rosto e fazendo com que ela caísse no chão. Em seguida teria ficado sobre ela e começado a esganá-la. Como ela estava gritando, sua mãe e sua filha foram ao seu encontro.


A vítima alegou que o indivíduo segurava seu pescoço com uma das mãos e com a outra tentava perfurar seu peito com a faca. Ela disse que segurou a mão do agressor mas ele conseguiu cortar seu pulso. Foi quando a mãe da vítima chegou e pulou em cima dele e a filha conseguiu se desvencilhar e sair correndo. O homem a perseguiu com a faca na mão, dizendo a todo tempo que iria matá-la e a toda sua família. A vítima correu e pulou um muro conseguindo chegar à casa de seu irmão onde ficou escondida até que sua filha ligou para ela avisando que a polícia havia chegado. Ao voltar à sua residência, ela foi informada que o indivíduo teria colocado fogo na casa e agredido os cachorros que moravam lá. Os animais fugiram e ainda não haviam sido encontrados.


Segundo o boletim de ocorrência, a vítima pediu medidas protetivas e quis representar contra o indivíduo pelo crime de ameaça. A filha da vítima confirmou à Polícia que a mãe já tinha sido agredida em outras oportunidades.


Diante do crime hediondo, e portanto, inafiançável, a Autoridade Policial representou pela conversão da Prisão em Flagrante em Prisão Preventiva.


A ocorrência foi registrada em boletim de natureza "Violência Doméstica (L 11.340/06); Dano (art. 163) com emprego de substância inflamável ou explosiva; Ameaça (art. 147); Contravenções Penais - Vias de fato (art. 21 - DL 3.688/41); Praticar ato de abuso a animais (Art. 32 - L 9.605/98) § 1º-A Quando se tratar de cão ou gato, a pena para as condutas descritas no caput deste artigo será de reclusão, de 2 (dois) a 5 (cinco) anos, multa e proibição da guarda; e Tentativa de Homicídio (art. 121) Feminicídio-contra a mulher por razões da condição de sexo feminino. III - na presença física ou virtual de descendente ou de ascendente da vítima".

43 visualizações

Commenti


bottom of page