top of page

Polícia Civil cumpre mandado de prisão preventiva de acusada de participar da morte de ex-modelo


Outro indiciado continua foragido.


Fau Barbosa

A Polícia Civil de Cotia prendeu na tarde deste sábado, 5, a travesti "Julia", acusada de ter participado do homicídio da ex-modelo Aline Laís Lopes, de 34 anos, ocorrido no último dia 25 de fevereiro.

O crime, que segundo a Polícia se deu por ciúmes e inveja, aconteceu nas dependências do antigo Cotia Hall, local conhecido como a "Cracolândia" da cidade.

A vítima teria sido atraída para uma emboscada armada pela mulher de um dos envolvidos, que teria descoberto que o companheiro estava fornecendo drogas para a ex-modelo, em troca de sexo.

A modelo teria entrado para o mundo das drogas há seis anos, e frequentava o Cotia Hall.


O homicídio

Aline foi morta por asfixia, seguida da carbonização de seu cadáver após ter sido atraída mediante emboscada pelo indiciado Lucas Francisco Rosa de França, de nome social Julia, o qual auxiliou na execução do homicídio segurando os braços da vítima enquanto era enforcada por uma corda.

Os restos mortais foram transportados na madrugada do dia 26/02, para a passarela de pedestres da Av. Professor José Barreto, na altura do km 31 da Rodovia Raposo Tavares, em um carrinho de supermercado conduzido por Igor Santos Moraes, acompanhado de Michele, e após o recebimento de quatro pedras de crack e promessa de pagamento futuro de R$30,00 (trinta reais).

No local, o corpo foi ocultado sob um colchão.

O cheiro forte acabou chamando a atenção de populares que acionaram a Polícia. O corpo foi descoberto por policiais militares, sendo encaminhado ao IML onde foi reconhecido por familiares e passou por exame de DNA para confirmar a identificação.


Autores do homicídio

Três pessoas estão envolvidas no homicídio da jovem de 34 anos. Foi instaurado inquérito policial e após ininterrupto trabalho de investigação, a autora do crime, Michele de Andrade Ferraz, de 30 anos, foi presa no último dia 27. Ela tentou manipular a polícia, dando falsas informações sobre o crime. O companheiro brigou com Michele e se afastou dela assim que soube da morte da Aline. Ele se apresentou à Polícia Militar na noite de 28/3, e foi encaminhado ao DP de Cotia, onde prestou depoimento e foi liberado.


Prosseguindo em diligências incessantes, os policiais civis conseguiram em 48 horas provas contundentes da participação de Igor e Julia, os quais foram identificados, localizados pela Guarda Civil de Cotia e indiciados por "Homicídio triplamente qualificado e Ocultação de Cadáver".


A prisão

Na noite de sexta-feira, 3 de março, a Delegada do caso Dra. Monica Gamboa, representou pelo pedido de Prisão Preventiva de Igor e Julia, e pela conversão da Prisão Temporária de Micheli em Prisão Preventiva, já custodiada na Cadeia Feminina de Barueri.

No início da tarde deste sábado, os policiais civis Lucas, Francisco, Juninho e Fernando capturaram, por volta das 16h, a travesti Júlia em sua casa.

Os investigadores estiveram no Cotia Hall para cumprir o mandado de prisão do indiciado Igor, o qual ainda não foi encontrado, estando foragido da Justiça.

A delegada Dra. Monica Gamboa falou sobre o desfecho do caso à reportagem do Portal Viva: "Resposta rápida a sociedade em sete dias, um relampejo de segurança aos usuários domiciliados no Cotia Hall , mas principalmente consolo aos desolados familiares da ex-modelo Aline", ressaltou.

A equipe de policiais civis do DP de Cotia (Fernando, Diogo, Francisco, Dra. Mônica Gamboa e Lucas)


Saiba mais:




862 visualizações

Bình luận


bottom of page